Beto Rosado faz campanha para a Liga do Câncer, que sua aliada Rosalba retém recursos na Prefeitura

11 Jul
17:04 2018
A+   a-
Da redação
O deputado federal Beto Rosado, do PP, depois de votar livrando Michel Temer das barras da justiça e contra os interesses dos trabalhadores no Brasil, encontrou uma maneira de turbinar suas redes sociais e oxigenar sua campanha de reeleição.
 
Beto lançou uma campanha, a qual ele chamou de desafio, no Instagram, onde promete, a cada R$ 50 reais doados a Liga Mossoroense de Estudos e Combate ao Câncer de Mossoró (LMECC), depositar o mesmo valor na conta da instituição em Mossoró.

O que é estranho é o deputado federal fazer campanha para Liga do Câncer, exatamente a instituição que está passando por sérias dificuldades financeiras em função do não repasse dos recursos (SUS) por parte da prefeita Rosalba Ciarlini, sua aliada de partido e na gestão municipal.
 
Para participar da campanha em benefício da Liga do Câncer, dentro da proposta do deputado federal Beto Rosado, o cidadão deve realizar o depósito de R$ 50,00 e publicar o comprovante no Instagram, marcando o perfil do “@beto.rosado”  e da @lmecc_solidariedade.
 
Em seguida, o Beto Rosado diz que deposita valor igual na conta da LMECC.
 
O deputado federal ressalta, no entanto, que a campanha irá até o valor de R$ 10 mil reais ou durante os próximos 10 dias.
 
Contas para doação:
Banco do Brasil Ag: 4687-6 Cc: 12345-5
Caixa Econômica: Ag: 0560 Op: 013 Cc: 90000-9
 
Com a campanha/desafio em benefício da Liga do Câncer, Beto Rosado espera aparecer como bom samaritano e turbinar suas redes sociais, melhorar sua imagem arranhada perante o eleitorado no Rio Grande do Norte e ampliar as chances de continuar na Câmara Federal.



Não existe dúvidas, que ao invés de se lançar nas redes sociais numa campanha para arrecadar R$ 20 mil para a oncologia, porque o deputado federal não empenha esforços junto a sua aliada politica (Rosalba Ciarlini) para que ela páre de reter ilegalmente os recursos da oncologia de Mossoró.

A município de Mossoró está retendo, milhões (referentes a 2 meses) em recursos enviados pelo SUS para a oncologia e também APAMIM. Também não repassa a contrapartida do município, que é um dever legal, há vários meses. 

COMENTÁRIOS