Os 15 serviços básicos que Rosalba deixou de fazer para sobrar dinheiro para o Cidade Junina

24 Jun
13:49 2017
A+   a-
Da redação
Quem conhece Carlos Augusto, sabe muito bem que este é o estilo dele de governar. Não sei porque tanto espanto desta garotada. Como escreveu outro dia o Thurbay Rodrigues. Ainda tem 1 ano pela frente parando serviços, prejudicando as pessoas e culpando o ex-gestor.
 
Até agora já se pode anotar:
1 - Deixou o mato crescer no Parque Municipal e não mais colocou segurança lá;
2 - Abandonou até as praças no Centro da cidade. Estão de fazer dó;
3 - Suspendeu o atendimento de ortopedia de baixa e média complexidade na UPA do BH;
4 - Retirou 50% dos médicos que atendiam nas UPAs;
5 - Parou de pagar o funcionamento das Bics, que botava 140 PMs de folga para patrulhar as ruas;
6 - As escolas estão sendo massacradas sem merendeiras e ASGs;
7 - Suspendeu as cirurgias eletivas, um ato covarde com mais de 1800 pessoas, inclusive aliados.
8 - O fracasso do MCJ/2017, mesmo sem os boicotes de 2015 e 2016, é um fato inconteste.
9 - Memorial abonado nas comemorações dos 90 anos da resistência a Lampião.
10 - Fechou buracos nas ruas com asfalto frio e as chuvas reabriram no outro dia.
11 - Pagou o salário de janeiro/2017 com os recursos de pagar dezembro/2016.
12 - Parcelou os débitos com os médicos e hospitais em 15 vezes e pagou com 6 dias de a [...]

Ler mais

Justiça Federal determina Prefeitura crie Central de Regulação de Leitos de UTI

20 Jun
17:14 2017
A+   a-
Da redação
O Juiz Federal Orlan Donato, titular da 8ª Vara Federal no Rio Grande do Norte, determinou que no prazo de 30 dias a União, Estado e Município de Mossoró promovam o planejamento para aquisição de produtos e procedimentos licitatórios para criação da Central de Regulação de Leitos de UTI.
 
A decisão ocorreu em caráter liminar em ação civil pública ajuizada pela Defensoria Pública da União.
 
O magistrado definiu que a Central de Regulação, a ser instalada em Mossoró, terá uma equipe mínima de um médico e um enfermeiro. Na decisão, o Juiz Federal Orlan Donato que na definição de internação de leito de UTI qualquer pessoa deverá respeitar a ordem cronológica dentre os pacientes do mesmo grau, bem como os graus de prioridade precedentes, conforme parecer do médico intensivista.
 
“Esse status de precariedade (da saúde pública nas esferas federal, estadual e municipal) não pode servir de escudo para que os gestores públicos do SUS, em qualquer de suas esferas, federal, estadual ou municipal, se omitam – seja por incompetência, seja por prevaricação – em aplicar, da forma mais correta e razoável possível, os recursos que lhes são d [...]

Ler mais

Justiça Federal acabou em 2014 com a corrupção que matava crianças em Mossoró

19 Jun
08:57 2017
A+   a-
Da redação
O procurador da república Deltan Dellagnol, famoso por sua atuação na Lava Jato, fala sempre em suas palestras que a corrupção mata. Se observado o cenário materno infantil de 2000 a 2014, em Mossoró, Dellannol tem razão.

Por reiteradas as vezes, conforme documentos em vários processos na Justiça Federal de Mossoró (já com condenação de réus), os recursos enviados pelo Governo Federal para a então Casa de Saúde Dix Sept Rosado (maternidade) foram desviados.

Em consequência destes desvios, até o ano de 2009 não havia leitos de Unidade de Terapia Intensiva Neonatal em Mossoró, muito embora os recursos tivesse sido enviados para este fim pelo Governo Federal. O que havia era uma gambiarra.

A instalação de apenas 6 leitos de UTI neonatal, em 2009, não foi por interesse próprio dos gestores para salvar vidas. Foi por determinação da Justiça Federal, já com base em relatos de arrepiar destacando a morte de bebês e mães na referida maternidade.

Os números mostravam um quadro horror. Os relatos de dezenas de casais de Mossoró e região embasam bem estes dados. No ano de 2007, um publicitário (nome resguardado) flagrou filho prematuro deixado para morrer numa pedra de mármore na maternidade. [...]

Ler mais

Rosalba suspendeu as cirurgias eletivas alegando falta de recursos e paga o MCJ adiantado

11 Jun
11:30 2017
A+   a-
Da redação
Que os festejos juninos de Mossoró são importantes, disto ninguém tem dúvida. Pinto da Mei Dia continua sendo um sucesso. Problemas, todos tem. É normal. O que não dá para entender é porque a prefeita Rosalba Ciarlini consegue pagar a adiantado pela festa e parcela em 15 vezes o pagamento dos médicos pelo serviço já prestado?

Pior, como Rosalba Ciarlini consegue recursos para pagar os festejos do Pinto da Mei dia, abertura do Mossoró Cidade Junina, e retira 50% dos médicos que atendiam nas UPAS, suspende os serviços de ortopedia na Upa do bairro Belo Horizontem e de forma cruel suspende as cirurgias eletivas (1800 e fila) tudo isto alegando falta de recursos?

Como se não bastasse, a prefeita Rosalba Ciarlini tem um discurso que está pagando em dia, quando seria mais honesto dizer que usou o dinheiro destinado para pagar os salários de dezembro dos servidores paga pagar os salários de janeiro dos servidores, deixando o salário de dezembro para trás, alegando que se tratava de dívida “da outra gestão”.

Como tem recursos para pagar adiantando o MCJ e não teve para manter as praças do Centro da cidade limpas, para manter o parque municipal ao lado IBAMA, para manter as BICs (através das quais 140 policiais trabalhavam em seus dias de folga ganhando diária [...]

Ler mais

Esgoto que apodrece a Doze anos e a praça de Convivência sai do Supermercado Alternativo

08 Jun
10:13 2017
A+   a-
Da redação
A Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte e o Supermercado Cidade Alternativo tem que resolver um problema grave que criaram no bairro Doze Anos.

Em função da rede de esgotos ter uma dimensão inferior ao que precisa para atender a demanda gerada no supermercado, a rede está constantemente estourando.

E a cada estouro da tubulação (de 2 em 2 meses), é um pesadelo para os moradores e comerciantes das ruas Princesa Isabel, Frei Miguelino e também da Praça de Convivência.

O problema começou quando o supermercado foi inaugurado, conforme o depoimento ao MOSSORÓ HOJE de pelo menos 6 moradores da Rua Princesa Isabel e outras próximas.

Apodrece fora e dentro das residências e dos comércios, de modo que ou a CAERN providencia um sistema que com dimensões que não estoure ou o supermercado trate melhor seu esgoto.

O que não é justo são os moradores e comerciantes serem penalizados com a fedentina de fezes e outros tipos líquidos podres para dormir, toma café, almoçar e jantar.
Assim não se vive.

Em contato com o MOSSORÓ HOJE, a CAERN informou que vai estudar o caso e buscar uma solução em definitivo. Atualmente a companhia apenas desobstruiu a rede.

E os moradores querem que resolva o [...]

Ler mais