Vigilante do IF em Apodi contratou morte do colega por R$ 1.500 para ficar com o emprego

Homicídio foi contratado junto ao chefe da facção Sindicato do RN e foi executado por um menor e o próprio vigilante que ficou com o emprego da vítima Cabral Neto, muito querido no município