GERAL

Companhia mossoroense Pão Doce ganha Prêmio Cenym, considerado o Oscar do Teatro Brasileiro

Foto: Taline Freitas
17 Nov
12:42 2016
A+   a-
Maricelio Almeida
A companhia de teatro mossoroense Pão Doce vive um ano histórico. Além de participar de um dos maiores festivais de encenação artística e cultural do país, o Palco Giratório, o grupo foi premiado com o Oscar do teatro brasileiro, na categoria Adereços e Objetos.

No último dia 15, a Cia. teve o seu trabalho no espetáculo “A Casatória c’a Defunta” reconhecido pelo Prêmio Cenym de Teatro Nacional, entregue anualmente pela Academia de Artes no Teatro do Brasil, em Sergipe.

A Pão Doce, que em 2016 celebra 15 anos de estrada, desbancou espetáculos como “O Camareiro”, com a participação de Tarcísio Meira; “Doroteia”, que conta em seu elenco com Rosamaria Murtinho e Letícia Spiller; e os musicais “Raia 30”, protagonizado pela atriz Cláudia Raia, e “Os Dez Mandamentos”.

Para Marcos Leonardo, diretor-geral do espetáculo “A Casatória c’a Defunta”, o resultado do prêmio foi surpreendente. “Receber um prêmio é sempre um prazer, mesmo a gente não recebendo fisicamente, já que não pude estar presente na festa. Não esperava, nossos concorrentes eram de primeiro mundo. Era quase impossível a gente ganhar. Eu acho até que eles erraram e falaram ‘ah, vamos dar lá para os caras, que são gente boa’, eu acho que foi isso”, destaca, bem-humorado, o artista.

O diretor atribui o reconhecimento nacional ao empenho da Cia. Pão Doce. “O grupo soube usar bem os objetos em cena, tudo é feito com muito carinho, com muito interesse de dar certo, isso que é o bacana. Usaram, por exemplo, um mesmo tecido para fazer o figurino de todos os personagens, tudo isso deve ter chamado atenção dos jurados”, relata.

Marcos trabalha com teatro há 37 anos, em diferentes áreas. “Fazendo figurinos, adereços, atuando, dirigindo. Desde a década de 1980 que começamos aqui em Mossoró com o Grupo Terra de Teatro, depois fui morar no Rio, fiz formação em nível técnico, tanto de moda quanto de teatro. Me saio bem como figurinista e como aderecista porque, acima de tudo, eu sou um homem de teatro, acho que é isso”, resume o artista, que é atualmente é assistente de direção musical “Natalis”, encenado pelo grupo Diocecena, sendo responsável ainda pelos figurinos, adereços e cenário do espetáculo.

Sobre “A Casatória c’a Defunta”

O espetáculo conta de modo lúdico e divertido as peripécias de quem já partiu desta vida para uma melhor e dos que ainda respiram por esses ares. Cinco atores em “pés-de-banco” levam a magia para as ruas a partir da história do medroso Afrânio, que está prestes a casar-se com a romântica Maria Flor, mas acidentalmente casa-se com a fantasmagórica Moça de Branco.

“A Casatória c”a Defunta” já participou da Aldeia Sesc Seridó 2015, XI Mostra Ariús de Teatro, Aldeia Palco Giratório (PB e RN), do III Festival O Mundo Inteiro é um Palco, organizado pelo grupo Clowns de Shakespeare, do 6º Festival Popular de Teatro de Fortaleza, 17ª Mostra Sesc Cariri de Culturas e do 17º encontro da Rede Brasileira de Teatro de Rua.

Prêmio Cemyn

O Cenym é a maior entrega de prêmios do teatro mundial em categorias, atualmente com 30. Por contar com um grande número de nomeações, e por ser o único prêmio de teatro nacional existente no país, já é considerado o Oscar do teatro brasileiro.
 
Os Pêmios Cenyms são entregues anualmente, em reconhecimento à excelência de profissionais do teatro brasileiro, como atores, atrizes, sonoplastas, iluminadores, figurinistas, compositores, maquiadores, grupos e demais profissionais em atividade. 

MAIS NOTÍCIAS


COMENTÁRIOS