ESTADO

Governo esclarece situação da licitação para o Hospital da Mulher

Foto: Divulgação/Governo Cidadão
17 Jul
15:27 2017
A+   a-
Da redação
A publicação de um aviso de suspensão no Diário Oficial do Estado (DOE) levou ao entendimento de que a licitação para a construção do Hospital Regional da Mulher e Banco de Leite de Mossoró estaria paralisada. Em contato com o Portal MOSSORÓ HOJE, a gerente do Programa Governo Cidadão (antigo RN Sustentável) explicou o que de fato está acontecendo no processo.

Segundo Ana, a licitação segue normalmente. Ele destacou que a publicação do aviso de suspensão foi necessário porque algumas empresas fizeram questionamentos sobre pontos do projeto, o que é natural em um processo desse porte. “Os questionamentos foram respondidos e reenviados para o Banco Mundial para liberação. O Banco está avaliando as respostas e estamos aguardando a liberação das últimas respostas que enviamos", afirmou.

Ainda conforme a gerente do Governo Cidadão, até a próxima semana as empresas estarão sendo convocadas para a próxima etapa do processo. “Em 10, 15 dias elas deverão apresentar a documentação, a garantia de execução da obra, na sequência o vencedor será declarado e em até 60 dias a ordem de serviço será assinada”, detalhou Ana Petta, acrescentando:

“É até bom que esses questionamentos ocorram agora para que a obra ocorra de forma mais célere. São empresas do Brasil inteiro participando, então é natural que elas sanem todas as dúvidas”, justificou.
 
O Hospital

Na obra física do Hospital Regional da Mulher deverão ser investidos R$ 51.099.137,50, recursos oriundos do programa Governo Cidadão, antigo RN Sustentável. Após equipado, o investimento total irá superar os R$ 100 milhões.

A unidade será construída em uma área total de 36 mil metros quadrados, em um terreno da Universidade do Estado do Rio Grande (UERN), contando com mais de 100 leitos, distribuídos entre observação do pronto socorro (sala de estabilização/reanimação, leitos femininos e leitos Neonatal), leitos de internação (ginecologia e intercorrências, assistência humanizada ao aborto, risco habitual, alto risco, isolamento adulto feminino e suporte à violência a mulher.

Além destes, contará com leitos de unidade de terapia intensiva e cuidados intermediários e unidades funcionais para Centro Obstétrico com Salas de Parto Humanizado e Salas Cirúrgicas de Obstetrícia, Cirurgias Eletivas, Banco de Leite Humano, Casa da Gestante e o Centro de Parto Normal.
 

MAIS NOTÍCIAS


COMENTÁRIOS