MOSSORÓ

Prefeitura usa estratégias de crime organizado para inibir greve, diz presidente do Sindiserpum

Foto: Divulgação | Sindiserpum
13 Set
09:45 2017
A+   a-
Da redação
A presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sindiserpum), Marleide Cunha, denunciou que os servidores municipais estão sendo perseguidos pela Prefeitura de Mossoró. 

Segundo Marleide, os plantões dos servidores da saúde estão sendo usados como forma de moeda de troca e intimidação. "Isso não podemos admitir", diz. 

"As pessoas estão sendo feridas em sua dignidade, estão sendo ameaçadas simplesmente nesse momento que estão em greve, estão sendo ameaçadas de serem tiradas de seu local de trabalho, a perderem seus plantões extra", afirmou Marleide.

E continua: "Isso está ferindo demais a dignidade humana. Não podemos admitir. A administração pública deve ser trabalhada nos princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade... A gestão Rosalba Ciarlini está se mostrando cada vez mais perseguidora, cada vez mais intimidando as pessoas. As estratégias que estão sendo colocadas em prática são estratégias até parecidas com o crime organizado. É inadmissível que isso aconteça em uma administração".

A presidente afirma que pediu a secretaria de saúde que "pare de chantagear as pessoas" e ainda "os plantões não podem ser utilizados como chantagem".

Marleide disse ainda que o caso será denunciado as autoridades competentes. 

VÍDEO


Outro lado
A Prefeitura de Mossoró informou nesta terça-feira (12),que a greve dos servidores não está prejudicando o serviço público. Disse ainda que a redução de adesão ao movimento grevista é prova de que os servidores reconhecem o esforço da gestão.

A PMM informou ainda que definiu um calendário anual de pagamento do funcionalismo, onde os servidores passaram a receber rigorosamente em dia, com salários dentro do mês trabalhado.

"O Executivo Municipal desembolsou em folha salarial o equivalente a mais de 210 milhões de reais", informou.

MAIS NOTÍCIAS


COMENTÁRIOS