POLÍCIA

Para sindicato, agentes de segurança estão sendo caçados por facções criminosas no RN

11 Out
07:57 2017
A+   a-
Da redação
Para a presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários no RN, Vilma Batista, "os bandidos têm caçado os operadores de segurança e, em especial, os agentes penitenciários, que lidam diretamente e diariamente com os criminosos nas unidades prisionais"

A declaração Vilma Batista foi em relação ao assassinato do agente penitenciário Thiago Jefferson Bezerra de Lima, de 33 anos, na noite desta terça-feira, 10, em natal. Os bandidos invadiram a residência onde ele se encontrava e o executaram

Segue a nta do Sindasp-RN

O Sindasp-RN, em nome de todos os Agentes Penitenciários do Rio Grande do Norte, lamenta a morte do agente Thiago Jefferson Bezerra de Lima, de 33 anos. Ele foi covardemente assassinado, na noite desta terça-feira (10), em Natal, após bandidos invadirem a casa dele.

"Sabemos que toda a população está sujeita à insegurança que tomou conta do Estado. No entanto, essa insegurança para nossa categoria é muito maior, pois os bandidos têm caçado os operadores de segurança e, em especial, os agentes penitenciários, que lidam diretamente e diariamente com os criminosos nas unidades prisionais. Esse caso é o retrato triste dessa realidade", comenta Vilma Batista, presidente do Sindasp-RN

Ela afirma ainda: "Infelizmente, perdemos um grande profissional, com histórico de excelentes serviços prestados ao Sistema Penitenciário. A família perdeu um filho, perdeu um ótimo pai, perdeu um marido. Nos solidarizamos com todos nesse momento de dor e esperamos que os responsáveis sejam encontrados e paguem pelo que fizeram".

O agente Thiago Jefferson estava dentro de casa, no bairro Bom Pastor, quando foi baleado. Ele chegou a ser socorrido e levado para a UPA da Cidade da Esperança, mas acabou falecendo. Thiago estava trabalhando atualmente no Hospital de Custódia e durante muito tempo foi do Grupo de Operações Especiais dos Agentes Penitenciários.

 "Além dos riscos da profissão, os agentes penitenciários estão abandonados pelo Estado e o resultado, infelizmente, é esse. Enquanto os operadores da segurança não forem valorizados e reconhecidos pelo Governo, os criminosos continuarão tendo a ousadia de nos enfrentar e atentar contra nossas vidas", completa Vilma Batista.

MAIS NOTÍCIAS


COMENTÁRIOS