POLÍCIA

Acusados de matarem vereador em Assú vão a júri em Mossoró por homicídio em Carnaubais

04 Dez
19:44 2017
A+   a-
Da redação
O Tribunal do Júri Popular de Mossoró se reúne nesta terça-feira (6) para julgar os principais acusados de matar a tiros e por dinheiro o vereador de Assú, Manoel Ferreira Targino, o Manoel Botinha, e tentado contra a vida de Francisco Adriano Bezerra Guilherme, de Assu.

Veja mais AQUI.

O juri popular nesta terça, no entanto, não vai julgar este caso de Manoel Botinha e Francisco Andriano e, sim, outro crime, igualmente grave, cometido pelos acusados: no caso, o assassinato de Antônio Alves Sobrinho, o Zoinho, no dia 8 de junho de 2015, em Carnaubais. 

Este caso foi mostrado no Fatástico, da Globo - AQUI.

Jallinson Veríssimo de Melo, o Jalin, de 25 anos(à direita), Welber Veríssimo de Melo, o Ebinho, de 34 anos (à esquerda), segundo as investigações da Polícia Civil e a denúncia do Ministério Público Estadual, participaram diretamente da execução do vereador Botinha. Eles negam, apesar dos indícios e provas.

Já no caso do assassinato de Zoinho, que vai a julgamento nesta terça-feira, 5, no Fórum Municipal Desembargador Silveira Martins, em Mossoró, segundo apurou a Polícia e narra o MPRN, teve a participação direta de Sérgio Tavares dos Santos. Foi uma vingança.

Jalin e Ebinho convidaram via whatsApp a vítima Zoinho para o Bar de Brancosa, no Alto do Rodrigues. Depois de aceite o "convite", Jalin e Ebinho chamaram Sérgio Tavares, para o mesmo bar. Zoinho chegou ao local de 12h e passou a beber com seus futuros assassinos. 

De 12h30, Ebinho fala ao telefone com Sérgio Tavares. Sérgio chama Ebinho ao banheiro para conversar sem que a vítima ouvisse. Ficou combinado que Ebinho manteria Zoinho no bar por mais algum tempo e Sérgio e Jalin planejaria o crime.

Em seguida, Ebinho deveria chamar Zoinho para ir ao sítio de Jalin, deixando claro que Ebinho deveria ir em seu carro e a vítima na motocicleta. Eles queriam ficar com a moto. Este terminou acontecendo. Jalin avisou a Sérgio quando Ebinho e Zoinho chegaram.

De 14h50, Sergio avisa a Jalin, por telefone, que estava indo (de carro) buscar Zoinho para "darem fim longe", informando ainda que estava com duas armas de fogo.Os três tomaram a moto de Zoinho e o botaram no carro de Sérgio Tavares.

"Colocaram-no dentro do veículo de Sérgio Tavares e o levaram para um matagal no município de Carnaubais. Chegando lá, Sérgio Tavares ceifou a vida da vítima com um disparo de arma de fogo na cabeça e se evadiu do local junto com Jalin e Ebinho", narra a peça do MPRN.

O crime foi descoberto na Operação Abril Despedaçado, deflagrada no dia 10 de dezembro de 2015. O caso chegou a Justiça detalhado com datas e horários precisos. Zoinho foi executado por tentado matar Vitor, que é sobrinho de Sérgio Tavares. 

Ainda na denúncia do MP na Justiça, consta que Sérgio Tavares foi executado a tiros no dia 27 de julho de 2015, no Sítio São José, no Alto do Rodrigues, em situação misteriosa. Por este motivo, não está junto com os irmãos Ebinho e Jalin sendo julgado pelo assassinato de Zoinho nesta terça-feira, 5, em Mossoró.

O julgamento Ebinho e Jalin, que estão presos em Apodi, está previsto de começar de 8h30, com o juiz presidente dos trabalhos realizando o sorteio dos sete jurados. Após o sorteio, caso exista testemunhas, estas serão ouvidas pelo juiz, promotor e advogados de defesa.

Não havendo, os réus serão interrogados, podendo falar ou não. No caso, alegam inocência, apesar da precisão das provas arroladas pela policia nas investigações e que estão sendo usadas pelo Ministério Público Estadual na denúncia.

Em seguida começa os debates entre o Ministério Público Estadula (promotor Carlos Henrique Harper Cox) e os advogados de defesa (Ivanaldo Paulo S. e Silva e Márcio Harla Maia de Aquino). Concluído os debates, o juiz faz a leitura da sentença conforme o que foi decidido pelo Conselho de Sentença na Sala Secreta.

Caso a sentença seja absolvitória, os réus continuam presos, em função do assassinato de Manoel Botinha e a tentativa de homicídio contra Francisco Andriano, de Assu. No caso dos jurados entenderem que são culpados, os réus terão a prisão decretada e começa a cumprir pena na condição de condenado.

O julgamento deve ser concluído no final da tarde. 

Quanto ao julgamento do caso Manoel Botinha, ainda não tem dada definida, porém, como os réus estão presos, o processo tende a correr com mais celeridade na Justiça e, não se descarta a possibilidade de ir a julgamento também em Mossoró no início do próximo ano.


Das telas do Cinema a vida real

O nome da Operação Abril Despedaçado é uma alusão ao filme do diretor Walter Salles, que aborda o conflito de terras entre duas famílias no interior nordestino do Brasil e o assassinato de membros dos grupos rivais. “Nesta região do RN, alguns homicídios ainda são praticados por criminosos que atuam em crimes de pistolagem. 


Presos na Operação Abril Despedaçado.

MAIS NOTÍCIAS


COMENTÁRIOS