ESPORTE

TJD apura suspeita de doping na equipe do Potiguar na partida contra o Assu, no Nogueirão

04 Fev
12:04 2018
A+   a-
Da redação
O jornalista Marcos Lopes, da Tribuna do Norte, divulgou neste sábado, um áudio que vazou nas redes sociais, apontando que a equipe do Potiguar de Mossoró foi dopada para enfretar o Assu na estreia do Estadual 2018, no Nogueirão, em Mossoró. Neste junto, o Potiguar foi goleado por 4 a 0. Os jogadores pareciam perdidos em campo.

Após o jogo, alguns jogadores terminaram no hospital e outros, conforme relatos apurados pelo MOSSORÓ HOJE, se quer conseguiram dormir, com vômitos e tontura. Por envolver um profissional de medicina, consultamos o médico Manoel Nobre, do Conselho Regional de Medicina, que ficou preocupado com a gravidade da denuncia. 

Para ouvir o audio que vazou AQUI.

Segue a matéria do jornalista Marcos Lopes, que confirmou a autenticidade do audio, e ouviu as partes envolvidas, inclusive o presidente do Potiguar, Benjaim Machado, apontado como um dos incentificadores a dooping dos atletas antes do jogo contra o Assu.

Eis

Vazou áudio onde o então treinador do Potiguar de Mossoró, Mastrillo Veiga, em conversa com Agnaldo Fidélis, então treinador do Baraúnas, fala sobre o uso de doping em alguns jogadores do Potiguar antes do jogo de estreia no Estadual contra o ASSU, quando o Time Macho levou uma goleada e que acabou gerando a demissão do treinador.
 
Tão logo recebi o áudio entrei em contato com Mastrillo que confirmou que a voz é dele e que a conversa foi com Agnaldo. Conversei também com Adriano Rufino, presidente do TJD do RN que já estava de posse de uma cópia do áudio e que havia encaminhado para o Procurador do Tribunal de Justiça Desportiva do RN, Rodrigo Cavalcanti.
 
Adriano Rufino disse ao blog ” vou me reunir em caráter de urgência com o Pleno do TJD para avaliarmos o caso”.
 
Conversei também com Benjamim Machado, presidente do Potiguar: ”  Escutei esse áudio ontem  e  falei com ele via WhattsApp e em nenhum momento a gente dopou, trabalho suplementação diariamente. É uma praxe no futebol os treinadores demitidos, chegam conhecendo a realidade dos clubes, são demitidos por incompetência ou por não acertarem o time  e saem atirando pedras para justificar a demissão.  Tenho minha comissão técnica toda como testemunha que fez uma palestra com os atletas falando sobre a suplementação. O que ele foi tentar um argumento esdruxulo e de mau caráter para justificar a demissão. O atleta Romeu que ele diz que passou mal por causa disso, já tinha estado no hospital na semana anterior por causa de uma virose. A verdade é que foi o treinador que levou o jogador para o hospital, pois nosso gerente de futebol já tinha ido embora. Romeu foi diagnosticado com penumonia e não por ter tomado suplementação. Ano passado ele foi muito mal aqui e atendendo alguns pedidos trouxe ele novamente e perdi toda a minha pré-temporada.A direção do Potiguar está tranquila já que não praticou nenhum ato ilícito, não admitimos de forma alguma doping ou coisa parecida”.

MAIS NOTÍCIAS


COMENTÁRIOS