ESTADO

Menos de 50 compram ingressos para o carnaval de Walmir Mendonça em Macau

Foto: Ireneu Cândido, no blog Cidade do Sal.
11 Fev
11:57 2018
A+   a-
Da redação
Com menos de 50 ingressos vendidos, o empresário Walmir Mendonça cancelou os shows com as bandas Eita Mamãe, Gil Bala, Boy da Potência e Última Hora, que seriam realizados numa estrutura de palco e camarotes na Praia de Camapum, na cidade litorânea de Macau/RN.

A informação é de Ireneu Cândido, no blog Cidade do Sal.

A Cidade do Sal, como Macau é conhecida em todo o País, pela grande quantidade de sal marinho que produz, é conhecida em todo o Rio Grande do Norte pelos grandes carnavais de rua que realiza ano após ano. Arrastões com mais de 100 mil pessoas, 4 vezes o número de habitantes do município, virou tradição na cidade ao longo dos anos. 

Só que este quadro mudou, quando o Ministério Público Estadual descobriu há sete anos (2011) que os gestores municipais estavam usando esta bela festa popular para desviar recursos públicos municipais. Inclusive os gestores da época (Flávio Veras e Kerginaldo Pinto) foram presos.

Somado a isto, veio a crise financeira nacional, que derrubou a arrecadação municipal, e a retração dos investimentos da Petrobras no Rio Grande do Norte, que derrubou o número de empregos e fez cair mais ainda a arrecadação, que praticamente inviabilizou o evento após o escândalo.

Para este ano, houve um esforço por parte da gestão municipal, que tem a frente o jornalista Túlio Lemos, para que a festa acontecesse. Além do tradicional arrastão pelas ruas da cidade patrocinado pelo município, o empresário Walmir Mendonça preparou uma estrutura de show na praia de Camapum, com acesso pago.

Só que, conforme Ireneu Cândido, do Blog Cidade do Sal, a festa de Walmir Mendonça com 4 bandas não conseguiu atrair o folião do tradicional carnaval de Macau. Menos de 50 pessoas compraram ingressos, o que teria feito o empresário ter prejuízo que já passa de R$ 100 mil só no primeiro dia de carnaval.

No caso de acontecer o mesmo neste domingo, dia 11, amanhã e na terça-feira, o prejuízo do empresário pode chegar a R$ 300 mil. 

MAIS NOTÍCIAS


COMENTÁRIOS