POLÍCIA

Por dívida de drogas, vigia mata a facadas cozinheira do Hospital de Rafael Godeiro e rouba R$ 1.400,00

13 Abr
11:08 2018
A+   a-
Da redação
O crime que deixou a população do município de Rafael Godeiro, no Oeste do Rio Grande do Norte, chocada, pela covardia e a crueldade praticada pelo criminoso. A cozinheira Lindalva Pereira Nunes dos Santos, de 51 anos, foi espancada e teve a garganta cortada pelo o seu colega de trabalho, o vigilante Carlos Eduardo Elias Monteiro, de 36 anos.

O crime aconteceu às 14h20 desta quinta-feira, 12.

O Cabo pm Regalado contou que Lindalva é como uma mãe para muitas pessoas na cidade, inclusive para Carlos Eduardo, que a matou. “Ela tem uma moto e entregou para Carlos Eduardo andar. Tudo que ele devia fazer em troca era levar ela, às vezes, ao banco para sacar o dinheiro que precisava para o dia a dia, pagar as contas de casa”, conta Regalado.

Nesta quinta-feira, 12, Carlos Eduardo levou Dona Lindalva no banco em Patu, ocasião que sacou R$ 1.500,00. Lindalva também ajudava Carlos financeiramente uma vez e outra. Quando chegou de Patu, o marido de Lindalva teria dito: “Carlinhos, fique aí, tome um cafezinho, que volto já” (saiu na moto) e aí foi quando aconteceu o assassinato seguido de roubo.

Carlos Eduardo confessou que primeiro tentou matar Dona Lindalva enforcando com uma corda e não conseguiu. A espancou com pancadas na cabeça e depois desferiu várias facadas (não soube precisar quantas) na altura da garganta. Dona Lindalva foi encontrada já sem vida pelo marido, na cozinha de casa, toda ensanguentada e chamou a Polícia, que de imediato iniciaram as buscas.

Após o crime, Carlos Eduardo foi em casa, tirou a rouba suja de sangue e colocou outra. Escondeu R$ 1.400 roubados de Dona Lindalva dentro do fogão e levou a faca até o cacimbão da propriedade de Zé Elias e jogou dentro. “Pedi apoio ao sargento Klevson, de Almino Afonso, e ao GTO, de Patu, e iniciamos as buscas e logo o prendemos o suspeito, que todos conhecem na cidade”, relata Regalado.

O preso foi levado de imediato para a cidade de Patu, onde foi autuado em flagrante por crime de latrocínio pelo delegado Sandro Régis. Em Rafael Godeiro, a população ficou revoltada e poderia querer lincha-lo. Em Patu, Carlos Eduardo confessou que matou a vítima para roubar os R$ 1.400,00 porque, segundo ele, para pagar dívida de drogas. O sargento Fabiano, do destacamente do município ressalta que a população está chocada com o ato criminoso.

Após a lavratura do flagrante, Carlos Eduardo foi encaminhado para Cadeia Pública de Caraúbas, onde vai aguardar julgamento por latrocínio.

MAIS NOTÍCIAS


COMENTÁRIOS