MOSSORÓ

"Hoje foi com a gente, amanhã pode ser qualquer um", diz prima de engenheiro morto por assaltantes

Foto: Reprodução TV Terra do Sal
25 Mai
17:48 2018
A+   a-
Da redação
Familiares e amigos das vítimas da violência que assola o município de Mossoró foram às ruas nesta sexta-feira, 25, em marcha pela paz. A concentração ocorreu no início da manhã na Igreja do Alto de São Manoel e percorreu ruas do Centro da cidade.

Entre tantos casos de violência, ganharam repercussão os latrocínios do engenheiro civil Fabrício Costa e do consultor financeiro Everton Tomaz. Dois jovens mossoroenses que tiveram suas vidas ceifadas por criminosos, em abril e maio deste ano, respectivamente. Os autores dos crimes continuam em liberdade.

Em entrevista a jornalista Adriana Mendes, da TV Terra do Sal, familiares e amigos de Fabrício e Everton falaram sobre a dor da perda e pediram por paz no município para que outras vidas inocentes não sejam ceifadas.

"A gente não aguenta mais tanta violência, a violência está grande, a gente pede, vamos ter mais paz, porque só Deus sabe a dor que a gente está sentido, hoje foi com a gente, amanhã pode ser com qualquer um", disse a dona de casa, Suyenne Costa, prima do engenheiro civil recém-formado Fabrício Costa.

O estudante e amigo de Everton Tomaz, Leo Góis, também falou sobre a perda do amigo e pediu, sobretudo, paz para Mossoró e uma postura dos governantes a respeito.

"Mossoró precisa de uma intervenção, e a intervenção não é simplesmente armada, é social, com amor, com educação, com esporte, roubaram tudo isso, esses legisladores, esses gestores, que estão aí estão fazendo um conchavo com o mal, participando juntamente com tanta gente ruim, deixando a sociedade a mercê, os sinais que vêm sendo apresentados ao longo dos anos são a prova da ineficiência dessas pessoas que aí estão, só querem favorecimento próprio", falou.



Fabrício Costa foi baleado na noite do dia 21 de abril após reagir a um assalto, próximo ao campo de Zé Peixeiro, no bairro Santo Antônio, zona norte da cidade. Ele foi socorrido e ficou em estado gravíssimo. Dois dias depois, o engenheiro não resistiu e faleceu no Hospital Regional Tarcísio Maia. A família autorizou a doação de órgãos.

Já Everton Pinto Tomaz foi baleado na noite do dia 14 de maio, por assaltantes, no bairro Nova Betânia, área nobre da cidade. Mesmo baleado, Everton conseguiu dirigir o carro, mas acabou batendo numa viatura da Força Nacional e em outro veículo. Ele foi atingido na coxa e não resistiu aos ferimentos.

Os dois casos estão sendo investigados pela Delegacia Especializada de Furtos e Roubos (DEFUR), tendo a frente o delegado Luiz Fernando. Nenhum suspeito foi preso até então.

Outro caso que ganhou bastante repercussão no município foi o da estudante Valéria Patrícia, que foi encontrada morta em setembro de 2016, em Mossoró. Até hoje, não há qualquer informação sobre quem são os assassinos de Valéria. O caso caiu no esquecimento.

Leia mais
Jovem engenheiro civil baleado por assaltantes no Santo Antônio morre no HRTM

Consultor financeiro baleado na coxa por possível assaltante morre em bairro nobre de Mossoró

 

MAIS NOTÍCIAS


COMENTÁRIOS