NACIONAL

Motoristas de caminhão parados recebem apoio de taxistas e da população em Mossoró-RN

27 Mai
09:19 2018
A+   a-
Da redação
A paralisação dos motoristas de caminhão pelo país chega ao seu sétimo dia, com registros de desabastecimento em centenas de cidades pelo País em postos de combustiveis e supermercados. No Oeste do Rio Grande do Norte, os rimeiros a ficarem sem produtos foram os postos de combustíveis.

Em Mossoró, a concentração dos caminhões parados é em frente ao Conjunto Redenção. Neste sábado, 26, como o pleito dos motoristas de caminhões (baixar o preço dos combustívies) é o mesmo da população em geral, recebeu apoio da população e também de outras categorias, como os motoristas de taxis.

O MOSSORÓ HOJE conversou com o advogado José Maria Dantas, que atua na área tributária. Ele disse que está preocupado com o desabastecimento dos supermercados e postos de combustíveis, porém concorda com o movimento dos motoristas de caminhão.

José Maria Dantas explica que o Governo Federal cobra altas taxas de impostos e os serviços básicos de segurança, saúde e educação, não funcionam. Ele explica melhor seu ponto de vista neste VIDEO abaixo. Várias outras pessoas que abordadas pelo MOSSORO HOJE tem pensamento igual.


As três grandes redes de supermercados de Mossoró, que tem unidades em varias outras cidades do oeste e nos estados vizinhos da Paraíba e Ceará, informaram que com mais 8 dias ou quando completar 15 dias de greve já vai está muito comprometido em quase todos os ítens das prateleiras.

Os setores que já estão sendo afetados são hortifrutegranjeiros, leite e o próximo é bebidas. A informação é do gerência do Supermercados da Rede 10, que demonstram preocupação principalmente com os caminhões com produtos perecíveis que estão nas BRs.

Na Cobal, principal distribuir de legumes, frutas, verduras e carnes de Mossoró, já enfrenta dificuldades principalente para reabastecer.


Rodovias interditadas (G1)
 
BR-101
Parnamirim (km 105) - com bloqueio parcial até a última atualização desta matéria. Fica na frente do Parque de Exposições Aristófanes Fernandes. É o maior ponto de interdição do estado. E foi o primeiro a ser formado, ainda na segunda (21). Apenas veículos pequenos estão passando.
Touros (Km 06) - com bloqueio parcial até a última atualização desta matéria.

BR-226
Santa Cruz (Km 109) - com bloqueio parcial até a última atualização desta matéria.

BR-304
Mossoró (Km 33) - com bloqueio parcial até a última atualização desta matéria. Desde a terça-feira, dia 22, caminhoneiros bloqueiam esse trecho, que liga Mossoró a Fortaleza, no Ceará. Só carros de passeio, motos e ambulâncias passam.

Assu (Km 106) - Os caminhoneiros estão concentrados há 3 dias no local. Por volta das 15h30 eles deixaram a via principal e se deslocaram para a marginal onde permaneciam em protesto até a última atualização desta matéria.
Macaíba (Km 302) - bloqueio parcial até a última atualização desta matéria.

BR-405
Apodi (Km 78) - com bloqueio parcial até a última atualização desta matéria. Na sexta (25), o bloqueio foi no trecho entre Mossoró e Apodi, no Km 72. Neste sábado, (26), às 9h, os manifestantes mudaram o ponto de bloqueio e estão na ponte no caminho para Pau dos Ferros, no Km 78. Um dos lados da via está todo ocupado. Por lá, os postos não têm mais gasolina.

Pau dos Ferros (Km 151) - bloqueio parcial até a última atualização desta matéria.

BR-406
João Câmara (Km 103) - liberada por volta das 16h.
BR-226

Santa Cruz (Km 107)- bloqueio parcial até a última atualização desta matéria.

BR-427
Caicó (Km 104) - com bloqueio parcial até a última atualização desta matéria. Este é o 4º dia de protestos na entrada de Caicó. Esse trecho liga Caicó a Serra Negra do Norte. Os caminhoneiros estão bloqueando caminhões, mas permitem a passagem de carros menores.


 

MAIS NOTÍCIAS


COMENTÁRIOS