POLÍCIA

Devido à contradição do júri, julgamento do acusado de mandar matar Manoel Botinha é anulado

29 Mai
18:39 2018
A+   a-
Da redação
O julgamento de Itamar Veríssio de Melo, de 43 anos, terminou não sendo concluído. O Conselho de Sentença votou de forma contraditária, apesar das explicações do presidente do Tribunal do Júri Popular, juiz Vagnos Kelly Figueiredo de Medeiros.

Diante da contradição dos jurados, em duas tentativas, com o parecer do Minsitério Publico Estadual e os protestos dos advogados de defesa, o juiz Vagnos Kelly decidiu encerraro julgamento, dissolver o Conselho de Sentença e realizar outro julgamento no final de agosto.

Itamar Veríssimo é o primeiro de 7 réus que vão a julgamento na Comarca de Mossoró pelo assassinato do vereador Manoel Ferreira Targino, o Manoel Botinha, crime este ocorrido na manhã do dia 22 de abril de 2015, dentro da oficina de vereador em Assu.

Na ocasião, também foi baleado o torneiro mecânico Francisco Adriano Bezerra, o Biano. O caso foi descoberto na "Operação Abril Despedaçado", resultado de aproximadamente 1 ano de investigação, que resultou na prisão de pistoleiros e mandantes de vários crimes em 2015.

Esta investigação primorosa foi comandada pelo delegado Carlos Brandão. 

Veja mais
Começa nesta terça em Mossoró o julgamento do processo do caso Manoel Botinha, de Assu



Veja quem são os réus do caso Manoel Botinha.

1 - José Roberto Nascimento da Silva, o Feitosa ou Junior Aleijado, de 39 anos, motorista, natural de Ceara Mirim.
2 - Itamar Veríssimo de Melo, de 43 anos, comerciante, natural de Macau.
3 - Welber Veríssimo de Melo, o Ebinho, de 35 anos, agricultor, natural de Assu.
4 - Jalisson Wagner Veríssimo de Melo, o Jalin, de 26 anos, natural de Macau, agricultor
5 - Valdete Veríssimo de Melo, o Negão, está foragido.
6 - Douglas Daniel Morais de Melo, de 22 anos, estudante, natural de Assu;
7 - Joelma de Morais Ferreira, de 40 anos, comerciante, natural de Ipanguaçu

Nesta terça-feira, 29, a sociedade mossoroense foi convocada através de uma representação de sete membros para votar pela condenação ou absolvição de Itamar Veríssimo, denunciado pelo Ministério Público Estadual como um dos mandantes do assassinato do vereador Manoel Botinha e tentado contra a vida Biano.

Este julgamento está sendo realizado em Mossoró porque a Justiça considerou que não poderia acontecer em Assu, devido ao risto de os réus serem influenciados e comprometer o resultado final do julgamento. Os acusados são muito influentes na região do Vale do Açu.

Após os debates entre acusação e defesa, o juiz Vagnos Kelly Figueiredo Medeiros convoco o Conselho de Sentença a Sala Secreta. Lá chegando, foram explicado aos jurados a questão dos questionamentos. Entrentanto, numa primeira tentativa de votação, houve contradição no resultado.

Neste caso,o juiz presidente Vagnos Kelly fez novas explicações aos jurados para que eles votassem novamente. Assim ocorreu, entretanto, novamente aconteceu contradição e novamente a votação foi anulada. Diante dos fatos, o juiz Vagnos Kelly decidiu por encerrar o julgamento e dissolver o Conselho de Sentença.

O juiz explicou será realizado outro julgamento, possivelmente no final do mes de agosto, para decidir pela culpa ou não de Itamar Veríssimo. 

Neste dia 30, será levado a julgamento mais dois possíveis mandantes do assassinato de Manoel Botinha: Douglas Daniel Morais de Melo, de 22 anos, e Joelma de Morais Melo, de 40 anos. Este júri deve começar às 8h30 e com previsão de conclusão no início da noite.

Os outros quatro denunciados pelo assassinato de Manoel Botinha, inclusive do pistoleiro Feitosa, acontecerá no final de agosto ou início de setembro.

Confira trecho da Ata da Sessão do Tribunal do Júri que explica a contradição:

MAIS NOTÍCIAS


COMENTÁRIOS