MOSSORÓ

Dívida de quase R$ 4 milhões da Prefeitura e Governo põe em risco atendimento da Liga do Câncer

Foto: Arquivo Mossoró Hoje
11 Jun
16:19 2018
A+   a-
Da redação
A Liga Mossoroense de Estudos e Combate ao Câncer (LMECC) vai paralisar os serviços de radioterapia e quimioterapia a partir do dia 18 de junho, caso a Prefeitura de Mossoró e o Governo do Rio Grande do Norte não efetuem o repasse do pagamento dos serviços.

Segundo à Liga Mossoroense, a Prefeitura de Mossoró deve R$ 1 milhão e 240 mil reais. Deste valor, aproximadamente R$ 790 mil corresponde aos meses de dezembro, janeiro e fevereiro e os outros R$ 450 mil são referentes ao mês de abril. A Liga explica que esses débitos da Prefeitura fazem parte de um plus que é utilizado para complementação de cirurgias e diárias da Unidade de Terapia Intensiva (UTI). 

Já a dívida do governo estadual é de aproximadamente R$ 2 milhões e 700 mil reais, referentes aos meses de janeiro, fevereiro, março e abril deste ano. Juntas, as dívidas chegam a quase R$ 4 milhões de reais.

A direção da Liga informou que já comunicou, de forma oficial, os órgãos competentes sobre a atual situação da instituição: "Lamenta o descaso por parte de algumas autoridades e reforça que se os repasses não forem feitos até a data citada, infelizmente as atividades serão paralisadas".

A Liga Mossoroense atende diariamente 210 pacientes oncológicos de Mossoró e região Oeste, além de pacientes de cidades do Ceará e Paraíba.

Todos os valores pagos aos hospitais de Mossoró são feitos pela Prefeitura desde através do Termo de Cooperação de Entes Públicos (TCEP), firmado entre Governo e Prefeitura, e que passou a vigorar em novembro de 2017. Ou seja, o Estado repassa o dinheiro para a Prefeitura e à Secretaria Municipal de Saúde cabe realizar o pagamento.

Leia mais
Estado mostra extratos comprovando que já repassou R$ 3,1 milhões para cirurgias eletivas em Mossoró


 

MAIS NOTÍCIAS


COMENTÁRIOS