POLÍCIA

A história do motorista de caminhão preso em Mossoró há sete meses isolado da família no Goiás

11 Jun
22:34 2018
A+   a-
Da redação
O motorista de caminhão Victor Ricardo Lima da Costa, de 25 anos, casado, com um filho pequeno, residente em Goiania (GO), está preso, em regime fechado, em Mossoró (RN), há sete meses, devido a um desencontro de informações entre a Justiça do GO e do RN.
 
Victor Ricardo foi processado por está dirigindo um carro roubado em 2013. Foi sentenciado, recorreu e a pena foi fixada em 6 anos e 4 meses de prisão inicialmente em regime semiaberto.
 
Como seu trabalho é dirigir carreta transportando cargas pelo País, não compareceu ao Fórum de Goiânia para o cumprimento da pena no regime determina e terminou tendo a prisão decretada.

"Às vezes a gente precisa de uma escova de dente e não tem", diz em entrevista ao MOSSORÓ HOJE (acima).

O caminhoneiro veio ao Nordeste deixar uma carga em Fortaleza (CE) e deu um pulo em Mossoró para carregar de sal e voltar para o sul do País. Na capital do Oeste do Rio Grande do Norte, a Polícia Rodoviária Federal o abordou e constatou que ele estava com prisão decretada.
 
Qualificado e ouvido em novembro de 2017 pela autoridade policial, Victor Ricardo foi colocado na Cadeia Pública. Por ser de família humilde, não teve como fazer contato com a esposa, com a mãe e ou o pai. Ficou isolado. A empresa foi informada da prisão e mandou buscar o caminhão.
 
Desesperados em Goiania, familiares e amigos de trabalho fizeram contato com este jornalista, em Mossoró, para ajuda-los nas buscas por Victor Ricardo no Sistema Prisional do RN. Com ajuda de amigos, conseguimos localiza-lo.



Victor Ricardo estava e está até hoje preso na Cadeia Pública de Mossoró, dirante mais de 2.400 km de casa. Informamos aos familiares, que por sua vez contrataram o advogado José Victor, que acionou o Poder Judiciário do Goiás pedindo a liberdade do cliente e/ou transferência para Goiânia.
 
A petição do bacharel foi apresentada ao Tribunal de Justiça do Goiânia. “Estávamos todos confiante de que teríamos habeas corpus para Victor Ricardo”, declara o advogado José Victor, em contato com MOSSORÓ HOJE.  Mas não foi o que aconteceu.
 
Ao pedir informações da prisão de Victor Ricardo a Justiça do Rio Grande do Norte, o desembargador foi informado de que ele já havia sido transferido, em Abril, para Goiana, estando assim o pedido do advogado prejudicado. Só que Victor continuou preso em Mossoró até hoje, segunda-feira, 11 de junho de 2018.
 
Neste dia 9 de junho, o pai de José Victor, o motorista de Caminhão Cilmar Alves de Lima, chegou a Mossoró, num veículo emprestado por um amigo. Foi orientado a aguardar até a manhã desta segunda-feira, 11, para ir ao encontro do filho na prisão.

Cilmar Alves disse que ficou bem mais tranquilo quando viu que o filho estava bem fisicamente, mas ficou um pouco cismado, pois o filho estava muito branco e magro.

A todo momento perguntava quando que o filho iria sair e recebia a explicação que só era possível saber quando se tomasse conhecimento de como estava processo.
 
Na manhã desta segunda-feira, 11, o diretor da Cadeia Pública de Mossoró, José Fernandes, disse que estava só aguardando decisão judicial para adotar as medidas determinadas com relação ao interno Victor Ricardo. Segundo ele, um preso de ótimo comportamento.
 
A reportagem voltou a fazer contato com o advogado José Victor e ele falou que precisava de uma Certidão, da Cadeia Pública de Mossoró, atestando que Victor Ricardo continua preso em regime fechado. Este documento será providenciado nesta terça-feira, 12.
 
O advogado Zaqueu Marinheiro de Sousa, de Mossoró, declarou que a situação do Victor Ricardo é um quadro flagrante de constrangimento ilegal.
 
“São vários fatores que nos conduz a vislumbrar o constrangimento ilegal praticado pelo Estado. Primeiro, a sentença é para o regime semiaberto, num presídio perto da família e o Victor está preso há sete meses em regime fechado e isolado da família. Segundo, por erro do judiciário (desencontro de informações), Victor continua preso em regime fechado”, disse.
 
O advogado Zaqueu Marinho de Sousa, vai atuar em apoio ao advogado José Victor, de Goiania, para que as informações cheguem corretamente ao processo e Victor Ricardo passe a cumpri a pena conforme prevista na sentença. Como já ficou 7 meses em regime fechado, é provável que já tenha direito a cumprir o restante da pena trabalhando, em regime aberto.

MAIS NOTÍCIAS


COMENTÁRIOS