MOSSORÓ

Fundação Banco do Brasil investe R$ 248 mil no setor de agricultura familiar em Mossoró

Foto: Agência Sebrae-RN
18 Jun
17:38 2018
A+   a-
Da redação
Produtores de assentamentos rurais e comunidades do município de Mossoró, na região Oeste do Estado, serão beneficiados por um projeto que investirá R$ 248 mil na produção e comercialização de produtos orgânicos da agricultura familiar. Para tanto, foi assinado na manhã de sábado (16), durante a Feira Agroecológica de Mossoró, um convênio entre a Fundação Banco do Brasil e a Associação de Produtores e Produtoras da Feira Agroecológica de Mossoró (APROFAM).

O investimento vai contemplar 160 agricultores, dos quais 100 associados são mulheres e jovens que trabalham em família no cultivo de frutas, verduras, hortaliças, castanha de caju, produção de mel de abelha e derivados.

Além da assistência técnica, os beneficiários poderão adquirir kits bioágua, sistemas de energia fotovoltaica, equipamentos de informática e materiais e insumos para hortas e viveiros, como sementes, mudas frutíferas, tubos, caixas d’água, bombas e centrífugas.

O convênio será executado durante 12 meses no âmbito do Programa Trabalho e Cidadania, da Fundação Banco do Brasil, e o projeto conta com a parceria do Sebrae do Rio Grande do Norte e da Prefeitura Municipal de Mossoró.

Dentre os objetivos do Projeto de Produção e Comercialização de Produtos Orgânicos da Agricultura Familiar em Assentamentos Rurais no Rio Grande do Norte, estão a organização social dos agricultores dos sistemas de produção agroecológica de forma integrada e sustentável, estímulo à produção de alimentos orgânicos, utilizando pequenas áreas para a produção vegetal integrada à criação animal e a organização das feiras de comercialização de produtos orgânicos, evitando atravessadores.

Além de cadastrar os agricultores orgânicos, possibilitando a comercialização dos seus produtos, criando desta forma uma relação de confiança entre os produtores e os consumidores e possibilitar o acesso de outros produtores ao sistema de produção e comercialização orgânica. 

Na opinião do presidente da Associação de Produtores e Produtoras da Feira Agroecológica de Mossoró – APROFAM, Irailson Moisés da Silva, a assinatura do convênio na data em que a associação comemora 11 anos de fundação e de realização da feira, que começou pequena e agora está consolidada, se reveste de grande simbolismo.

“Isso prova que ao longo desses 11 anos, nós com o apoio importante dos parceiros, conquistamos a credibilidade não só das instituições, mas dos consumidores que tem uma aceitação muito boa dos nossos produtos.  Com o tempo o consumidor entendeu o valor do produto orgânico adquirido do próprio produtor e com a certeza que vem de uma produção agroecológica, que tem um custo mais elevado pelos benefícios à saúde e respeito ao meio ambiente”, afirma Irailson.

O evento de assinatura do convênio contou com o representante da Fundação Banco do Brasil, Weiber Basílio Medeiros, que afirmou que o agente financeiro garante todo o apoio às associações como a APROFAM por entender que esse é o papel da Fundação para fomentar o desenvolvimento. “A associação está de parabéns, principalmente porque dos recursos do edital 2018 foram destinados R$ 400 mil para cada Estado brasileiro e a APROFAM foi contemplada com pouco mais da metade deste valor. Isso prova a seriedade e o compromisso com o trabalho desses produtores”, afirma Weiber Basílio.

A produtora Luana Clementino da Costa, também secretária da APROFAM, destacou a importância do acesso às tecnologias que possam apoiar os pequenos produtores no campo, principalmente em longos períodos de estiagem, como vinha acontecendo nos últimos seis anos. “A nossa intenção é adotar tecnologias que façam a diferença no campo, como a energia solar pelo sistema de placas fotovoltaicas, e o tratamento da água com os kits bioágua para melhorar cada vez mais a produção. Vamos investir esses recursos não somente na produção, mas também na ampliação da nossa feira, incluindo novos produtores”, promete Luana Costa.

Na visão do gerente do Escritório Regional do Sebrae no Oeste, João Vidal Fernandes, o apoio à produção e à comercialização é essencial para que os produtores possam adotar a inovação nas suas áreas de cultivo e ganhar competitividade. “Exemplo disso é a energia solar fotovoltaica, que possibilita a produção aonde não haja a energia elétrica. Mas além da produção, é essencial que a APROFAM trabalhe mais a comercialização, trazendo para os seus associados o conhecimento do mercado e que possam atender às necessidades dos clientes, ampliando a rede de consumidores”, afirma João Vidal. A Secretária de Agricultura de Mossoró, Fátima Vale, também enfatizou o apoio da Prefeitura de Mossoró, que desde o início da formação do grupo, que posteriormente tornou-se a associação, tem dado grande contribuição para o fortalecimento do associativismo rural.

Com infromações Agência Sebrae-RN

MAIS NOTÍCIAS


COMENTÁRIOS