MOSSORÓ

"Dia do Basta": Servidores públicos municipais aderem à paralisação nacional

Foto: Arquivo Sindiserpum
09 Ago
18:43 2018
A+   a-
Da redação
Os servidores públicos municipais de Mossoró vão aderir à paralisação nacional que ocorrerá nesta sexta-feira, 10 de agosto, batizada como o "Dia do Basta". A partir das 8 horas, os servidores municipais vão se concentrar em frente a sede do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sindiserpum), no Centro de Mossoró.

Em comunicado, o sindicato informou que tem motivos de sobra para aderir à paralisação. O órgão ressalta que a Prefeitura de Mossoró tem negado, pelo segundo ano consecutivo, um "reajuste que lhe garanta ao menos a reposição da inflação. Os servidores que têm amargado uma perda acumulada de 8,37% nos seus salários desde o início da gestão Rosalba Ciarlini".

Por outro lado, segundo o sindicato, o Executivo Municipal renova contratos milionários com empresa de coleta de lixo e aluguel de veículos. "O sucateamento de muitos equipamentos públicos é de causar vergonha a um gestor sério e comprometido, a violência está presente no dia-a-dia do servidor público adoecido, o assédio moral é uma imoralidade, mas é uma constante e tem sido um dos empecilhos para que muitos quebrem suas correntes e lutem pelos seus direitos negados", informou o Sindiserpum.

"É o momento de dar UM BASTA ao autoritarismo que reina em Mossoró, UM BASTA ao congelamento dos salários dos servidores públicos de Mossoró, UM BASTA ao desmantelamento do serviço público, UM BASTA à violência e UM BASTA também e maior, ao medo que tem nos tomado pelas mãos e nos aprisionado", completou o sindicato.

UFERSA
Os servidores técnico-administrativos da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa) também vão aderir à paralisação nacional. Um ato de protesto será realizado no início da manhã em frente à guarita do Campus Leste 

Paralisação Nacional
A paralisação nacional que acontecerá nesta sexta-feira, 10, em boa parte do país com o apoio de diversas categorias tem como objetivo protestar por direitos dos trabalhadores. O movimento foi convocado pela Unidade Classista junto às centrais sindicais.

MAIS NOTÍCIAS


COMENTÁRIOS