ECONOMIA

Serra do Mel: 30 mil mudas serão distribuídas para revitalização da cajucultura

20 Ago
09:04 2018
A+   a-
Da redação
Aconteceu na última sexta-feira, 17, importante reunião que contou com a participação do prefeito de Serra do Mel, Josivan Bibiano (PR), o secretário municipal de Agricultura, Flávio Vicente e os engenheiros agrônomos Glenda Soares e Braz Lino.

Na oportunidade foi discutido sobre a parceria entre o município e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), para a revitalização da cajucultura do município no ano de 2018. 

O município de Serra do Mel foi criado no início dos anos 80, com mais ou menos 1.200 famílias assentadas em 22 vilas rurais e uma administrativa. Nas 22 vilas rurais foram plantados mais ou menos 2,5 milhões de pés de cajueiros. Ocorre que mais de 75% deses cajueiros morreram, ao longo destas três décadas, em função da ação de pragas, como a mosca branca, e principalmente em função dos anos sucessivos de seca. 

Cobrado pela população, a revitalização da cajucultura da Serra do Mel tem sido motivo de cobrança constante dos colunos e uma das preocupações do prefeito Bibiano, tendo em vista saber que a cajucultura é um dos principais meios de subsistência dos agricultores do município. Nesse sentido, foi necessário fazer levantamento e descobrir que o município perdeu em torno de 75% de seus cajueiros gigantes nos último anos.

“A parceria com o Sebrae vem para ajudar a revitaliza e apoiar os agricultores, novos e antigos, onde serão distribuídos 30 mil mudas, beneficiando 300 hectares, alcançando um total de 300 famílias.

Com esta ação, “após quatro anos sendo acompanhado e feito todo o processo de combate a pragas e reparação de solo, pode chegar ao valor bruto total R$ 3 milhões de reais em ganhos para os produtores”, observa a agrônoma Glenda Soares.

Glenda informa que tanto ela quando o colega Braz Lino estão fazendo acompanhamento em todas as vilas da cidade, dando dicas e orientando os produtores para que cada um tenha uma melhor colheita, um melhor resultado de solo, assim como também uma melhor plantação, limpa, saudável e com um retorno máximo em produção.

O agrônomo Braz Lino ressaltou que as pesquisas realizadas por eles são totalmente derivadas das pesquisas da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA). 

“A produção pode chegar ao importante número de 1.150 quilos por hectare de terra,!para cada produtor”, observou Braz Lino, ressaltando ainda que essa produção massiva é um número relacionado a castanha de caju, podendo dobrar se levar em conta a comercialização do caju.

Glenda faz observação de que a muda de enxerto com melhor resultado é a CCP 76, conhecido caju anão vermelho. No entanto, outros clones estão sendo testados e os mesmos tendo um melhor resultado, serão também implantados no processo de enxertamento.

Finalizando, o prefeito Bibiano externou sua gratidão ao apoio dispensado pela EMATER, que sempre acompanha os produtores e os engenheiros agrônomos do município, dando total apoio.

MAIS NOTÍCIAS


COMENTÁRIOS