POLÍCIA

Justiça decide manter miliciano Orlando da Curicica, acusado de matar Marielle, preso em Mossoró

Foto: Reprodução de TV
12 Set
18:11 2018
A+   a-
Da redação
Por conta da decisão da Justiça Federal para que continue preso na Penitenciária Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte, até pelo menos junho de 2019, o principal suspeito do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e de seu motorista Anderson Gomes, Orlando de Oliveira Araújo, o Orlando da Curicica, pôs à venda um sítio em Vale das Pedrinhas, distrito de Guapimirim, na Baixada Fluminense.

- Curicica não está numa situação tranquila. Está respondendo a quatro processos, se encontra longe da família e, para protegê-la, está devolvendo tudo que tomou dos rivais. Ele está dando os anéis para ficar com os dedos e as mãos - comentou um dos investigadores do caso Marielle.

De acordo com autoridades, o miliciano tem abandonado pouco a pouco antigos pontos que dominava por meio de seu grupo nos últimos 15 anos e se desfeito de parte relevante de seu patrimônio. 

Pertencente a sua ex-mulher Thais Ferreira Bahiense Rodrigues, a propriedade de 6 mil metros quadrados que abriga casas, piscina e campo de futebol fica ao pé do Parque Nacional da Serra dos Órgãos.

Batizado de "Quinta do Vale", o sítio foi palco de churrascos e discussões de negócios protagonizadas pela quadrilha. Suspeitos de repasssarem informações à Polícia Federal, dois integrantes do bando teriam sido assassinados no local. Nos últimos tempos, a ex-mulher do miliciano vem tentando legalizar uma mina situada na propriedade para abastecer uma empresa de venda de água em seu nome. Mesmo com a regularização ainda não concluída, a reportagem jornal carioca O Globo encontrou caminhões levando o água de lá para revenda no Recreio dos Bandeirantes, que faz parte da área de influência da milícia de Orlando.

Com informações da Agência O Globo

MAIS NOTÍCIAS


COMENTÁRIOS