MOSSORÓ

Natalense que comandou chacina do Boa Vista vai a júri por tentar matar colega de cela com água fervente

24 Set
15:24 2018
A+   a-
Da redação
O Tribunal do Júri Popular julgará nesta terça-feira (25), o réu Felipe Martins dos Santos, de 23 anos, conhecido como "Playboy", pelo crime de tentativa de homicídio, ocorrido em janeiro deste ano dentro da Cadeia Pública Juiz Manoel Onofre de Souza, em Mossoró. O júri acontecerá no Fórum Municipal Desembargador Silveira Martins sob à presidência do juiz Vagnos Kelly Figueiredo de Medeiros.

O natalense Felipe Martins é acusado de tentar matar seu colega de cela, na época, Kalyelson Alves Nogueira com água fervente por volta das 4h da madrugada do dia 16 de janeiro de 2018, no Pavilhão 3, da Cadeia Pública de Mossoró.

Conforme narra a denúncia do Ministério Público, a vítima dormia em uma rede na cela 02, do Pavilhão 3, da Cadeia Pública quando foi acordada com água quente, que foi jogada sobre seu corpo. A vítima reagiu rapidamente e gritou chamando a atenção dos agentes penitenciários, que de imediato, socorreram o preso de justiça para o Hospital Regional Tarcísio Maia. Kalyelson ficou com ferimentos na região da barriga.



No júri desta terça, o MP será representado pelo promotor de justiça Armando Lúcio Ribeiro. Os interesses do réu serão defendidos pelo defensor público Diego Melo da Fonseca. 

Após explanação de ambas as partes e depoimentos do réu, vítima e testemunhas, o Conselho de Sentença se reunirá e decidirá pela condenação ou não de Felipe Martins. O Conselho de Sentença é formado por sete jurados da sociedade mossoroense.

Felipe Martins estava preso sob a acusação de comandar a chacina do "baile de favela" - ocasião onde cinco pessoas foram executadas a tiros em 11 de março de 2017 durante um baile funk no bairro Boa Vista, zona sul de Mossoró.

Chacina "baile de favela"
Na noite de 11 de março de 2017, cinco pessoas foram executadas a tiros durante um baile funk num buffet no bairro Boa Vista, em Mossoró. Outras pessoas ficaram feridas e na época foram hospitalizadas.

Segundo as investigações da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o ataque a tiros foi promovido pela facção Sindicato do RN contra o Primeiro Comando da Capital (PCC). A festa de funk foi organizada pelo PCC para comemorar a chegada de um líder da facção em Mossoró. 

Felipe Martins, segundo a Polícia, foi designado por líderes do Sindicato em Natal, para "colocar ordem na casa" em Mossoró, ou seja, matar os rivais de facção. Na ocasião do ataque a tiros, outros quatro participaram, sendo eles: Abdiel Silva Domiciano, o Galadinho; Bruno Marlon, o Shampo; Francisco Joanilson, o Jhow, e um adolescente.

LEIA MAIS
Acusado de comandar chacina "baile de favela" tenta matar colega com água quente em Mossoró

Chacina no Baile de Favela: investigação mostra guerra estruturada entre facções no RN

Guera de facções: Playboy natalense comandou chacina no "baile de favela" em Mossoró

Ataque a tiros deixa cinco mortos e vários feridos em baile funk no Boa Vista
 

MAIS NOTÍCIAS


COMENTÁRIOS