ESTADO

INCA estima 800 novos casos de câncer de mama no RN em 2018

Foto: Reprodução/INCA
27 Set
09:33 2018
A+   a-
Da redação
Grande parte da população feminina ainda não se conscientizou da importância da detecção precoce do câncer de mama. Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), são esperados 59.700 mil novos casos no Brasil este ano, sendo este tipo de neoplasia a maior causa de morte por câncer nas mulheres em todo o mundo.

No Rio Grande do Norte, o INCA estima 800 novos casos este ano, sendo um terço deles só em Natal. Desses, mais de 50% devem ser diagnosticados já em estágio avançado.

Só na nas unidades da Liga Contra o Câncer, até o mês de junho deste ano, já foram detectados 331 novos casos de câncer de mama. Em 2017 foram diagnosticados 702 novos casos e em 2016, 692 novos casos.

Diante do quadro preocupante, é realizada a campanha "Outubro Rosa" em todo o país. Um mês inteiro dedicado ao combate ao câncer de mama. A proposta surgiu na década de 1990 nos Estados Unidos e ganhou alcance mundial. 

Pelo décimo ano, a Liga Norte Riograndense Contra o Câncer entra nessa luta para conscientizar e mobilizar a sociedade para o combate à doença e a importância do diagnóstico precoce.

 A campanha começa oficialmente na segunda-feira (01), a partir das 9h, com solenidade de abertura no Centro Avançado de Oncologia (Cecan), que contará com a presença de toda a diretoria da Liga, funcionários, grupos voluntários e pacientes.

 As ações serão realizadas pela Liga em parceria com seus grupos voluntários Rede Feminina Contra o Câncer e Grupo Despertar. Dentro do cronograma serão realizadas palestras e panfletagens durante todo o mês em shoppings, supermercados, escolas, empresas e diversas comunidades da capital e de cidades vizinhas, como também várias outras mobilizações na intenção de alertar sobre a importância da mamografia periódica para todas as mulheres com mais de 40 anos e do diagnóstico precoce. 

O exame da mama é o melhor meio para detectar tumores ainda em fase inicial, possibilitando a cura em mais de 90% dos casos.

A mamografia de rotina é o método mais eficaz para o diagnóstico do câncer de mama em estágio inicial, e indicado para mulheres assintomáticas, ou seja, sem anormalidades na estrutura mamária. Ainda de acordo com o INCA, a mamografia periódica permite uma redução de cerca de 30% na mortalidade por câncer de mama em mulheres de 40 a 69 anos.

MAIS NOTÍCIAS


COMENTÁRIOS