MOSSORÓ

'Me disseram que o médico vinha quando queria', diz dona de casa sobre falta de atendimento no AMI

Foto: Assessoria/Prefeitura de Mossoró
27 Set
16:52 2018
A+   a-
Da redação
Há cerca de 15 dias, Tereza Lúcia foi até ao Ambulatório Materno-Infantil Dr. Raimundo Medeiros de Fernandes (AMI), no bairro Bom Jardim, em busca de atendimento psiquiátrico para o seu neto João Vitor, de 6 anos. Até agora, não conseguiu.

Tereza explicou que esta semana retornou ao AMI e mais uma vez recebeu a negativa sobre o atendimento. A diretora do ambulatório, segundo ela, informou que o médico simplesmente não comparecia às consultas marcadas.

“A diretora disse que ele (médico) não estava vindo atender, vinha quando queria, que ele era irresponsável, ela disse até que ia entregar ele lá na secretaria”, contou a avó.

João Vitor apresenta problemas desde ainda bebê. Tereza acredita que o motivo é que sua filha, hoje com 36 anos, fazia uso de entorpecentes durante a gravidez. A mãe, hoje não mais dependente química, mora com o menino na cidade de Apodi. Lá, a família também não conseguiu atendimento pelo Município. Por isso, resolveram tentar em Mossoró.

“Lá (Apodi) ela nunca conseguiu atendimento para ele, disseram que só atende a partir dos 12 anos, então ele ficou esse tempo todinho sem tratamento nenhum”, acrescentou a avó do menino.

A avó explicou que o menino é imperativo, não desenvolveu bem a fala e age com agressividade em diversas ocasiões. Contou também que a família toda sofre sem saber como ajudar por que ninguém tem como pagar uma consulta particular.  “Lá (no AMI) disseram que esse médico é muito bom, mas que a só a consulta com ele é uns R$ 300,00”, afirmou Tereza.

“Quando fui lá essa semana a diretora disse que tinha umas 17 crianças para atender e que ela ia tentar encaixar meu neto, mas não deu certo”, disse a dona de casa ressaltando que sequer conseguiu marcar uma consulta.

Sobre o atendimento no AMI, em Mossoró, a dona de casa disse que vai continuar tentando até conseguir por que o neto precisa muito. Na última vez ela que foi ao ambulatório materno-infantil não havia previsão para ser atendida. “Fui lá essa semana de novo e a diretora não estava, a funcionária de lá disse que nem adiantava esperar por ela, perguntou qual era o assunto, era o mesmo, aí ela disse que não tinha nem previsão”, conclui Tereza Lúcia.

Prefeitura informa que atendimento acontece normalmente
O MOSSORÓ HOJE entrou em contato com a assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Saúde de Mossoró para saber se há algum problema no atendimento no AMI. A assessoria informou que não.

Conforme o texto enviado pela assessoria, o atendimento está funcionando normalmente. Texto completo abaixo:

"Temos o atendimento e ele funciona normalmente. O que aconteceu foi o seguinte: O médico psiquiatra Dirceu faltou dois dias. O AMI, desde o início da semana, está ligando para os pacientes que seriam atendidos nesses dois dias para remarcar as consultas nesta semana e na outra. Ninguém vai ficar prejudicado".

MAIS NOTÍCIAS


COMENTÁRIOS