29 JUN 2022 | ATUALIZADO 10:37
ESTADO
25/05/2022 18:20
Atualizado
25/05/2022 18:20

Clientes com dívidas com a Caern podem fazer negociação até o dia 31 de maio

Além de oferecer descontos de juros e multa, a campanha também permite o parcelamento do saldo devedor em até 60 meses. É uma chance para colocar as contas em dia em condições especiais. A campanha abrange faturas anteriores a março de 2022. Se o cliente não quiser fazer o pagamento à vista, pode optar pelo parcelamento, caso em que a entrada deve ser de pelo menos 5% do total da dívida, com o saldo podendo ser parcelado em até 60 vezes.
FOTO: ARQUIVO/MH

Os clientes da Caern que estão com contas atrasadas têm até terça-feira da semana que vem (31) para aproveitar as vantagens da campanha de negociação de débitos que a companhia está realizando este mês.

Além de oferecer descontos de juros e multa, a campanha também permite o parcelamento do saldo devedor em até 60 meses. É uma chance para colocar as contas em dia em condições especiais.

A campanha abrange faturas anteriores a março de 2022. Se o cliente não quiser fazer o pagamento à vista, pode optar pelo parcelamento, caso em que a entrada deve ser de pelo menos 5% do total da dívida, com o saldo podendo ser parcelado em até 60 vezes, desde que o valor da parcela seja, no mínimo, 50% do valor médio da fatura do imóvel.

O cliente pode incluir débitos negociados anteriormente e ainda não saldados, com a entrada mínima de 10% do total do débito. A negociação pode ser feita pelo cartão de crédito, sem entrada, com isenção de juros e multas, em até 24 vezes e com parcela mínima de R$ 5.

Desde o início da atual campanha de negociação, já foram feitos 5.012 acordos. Em parcelamentos, foi negociado um volume de R$ 7 milhões, 909 mil, 233, além de arrecadado um total de R$ 926 mil, 618 em valores pagos como entrada.

Quem quiser aproveitar a oportunidade, pode procurar os canais virtuais da companhia ou ir ao escritório de atendimento mais próximo de sua casa.


Notas

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário