Discurso frágil de Rosalba sobre segurança é combatido pelo governador Robinson

Foto: Secom/PMM
19 Mar
12:17 2017
A+   a-
Da redação
A fragilidade do discurso de Rosalba Ciarlini sobre a segurança pública ficou evidente durante o lançamento do programa Ronda Cidadã, em Mossoró, na tarde deste sábado 18. Por diversos momentos, a prefeita, ao tentar transferir por completo a responsabilidade da segurança para o Estado, foi rebatida pelo governador Robinson Faria, que lembrou, indiretamente, a passagem catastrófica da gestora pelo Governo, entre 2011 e 2015.

Ao pedir que o efetivo da Polícia fosse ampliado por exemplo, Rosalba foi lembrada que desde 2005 não há concurso para a área, o que ocorrerá ainda em 2017, na gestão de Robinson Faria, com cerca de 3 mil vagas no total. ASSISTA:
 

“Nós precisamos um pouco mais, precisamos que o efetivo seja ampliado, temos um efetivo hoje menor do que o que existia há três anos. Na Polícia Civil já tivemos também um efetivo bem maior. Precisa-se de mais instrumentos para investigação, para inteligência”, disse Rosalba, sendo respondida por Robinson:

“Sobre o efetivo, eu não tenho culpa, desde 2005 que não se fazia concurso no Rio Grande do Norte para a Polícia Militar. Recebi, como governador, um contingente muito reduzido, na PM e na Polícia Civil, mas agora vou fazer o concurso para quase 3 mil policiais militares, civis, ITEP, Corpo de Bombeiros e ainda vamos convocar PMs da reserva. Quero trazer mais ronda para Mossoró, mas precisava de concurso”, rebateu o governador.

Robinson também reforçou a necessidade da parceria entre o Estado e o Município, destacando que sua equipe encaminhará à Rosalba um roteiro de sugestões para a segurança pública, “devolvendo o presente” entregue pela prefeita, que repassou ao governador um documento contendo uma série de reivindicações.

“Eu também vou entregar sugestões à Prefeitura. A nossa equipe de segurança também vai devolver o mesmo presente, vai entregar um roteiro de sugestões, e vamos somar o que cada um pode fazer, cada um cumprindo o seu papel, o importante é dar às mãos”, disparou Robinson Faria.

Por fim, o governador pediu que Rosalba reabrisse as Bases Integradas Cidadãs (BICs), desativadas pela atual gestão municipal. “É preciso fortalecer a parceria, tratar a questão da iluminação, esporte, que são iniciativas municiais, não adianta o Estado entrar com a segurança se não houver ações de cidadania, conjuntas. Não adianta só o Ronda se não houver parceria. Queria inclusive pedir a reabertura das BICs”, concluiu o chefe do Executivo estadual.
 
 

COMENTÁRIOS