12 DEZ 2018 | ATUALIZADO 23:35
MOSSORÓ

Secretária descumpre promessa e agricultores de Alagoinhas vão cobrar explicações

Escola da comunidade está em ruínas. O prédio novo deveria ter sido concluído no início de 2017, o que terminou não acontecendo. Há 15 dias, a secretaria Magali Delfino prometeu iniciar as aulas em 15 dias
Da redação
13/03/2018 16:24
Atualizado
12/12/2018 03:28
A+   A-  
Secretária descumpre promessa e agricultores de Alagoinhas vão cobrar explicações
Os pais de mais ou menos 130 estudantes das comunidades de Coqueiros, Arisco, Bom Destino, Lajedo, Montana e Lagoinha, vão no início da manhã desta quarta-feira, 14, cobrar da secretaria municipal de Educação, Magali Delfino, a promessa que adotaria providências, com urgência, para iniciar o ano letivo no prédio novo da escola da comunidade nesta segunda-feira, dia 13, o que terminou não acontecendo.

Veja mais
Agricultores se recusam a deixar filhos irem para escola que parede dá choque em Mossoró


Após os protestos, a secretária Magali Delfino foi na comunidade para ouvir os moradores. Na ocasião, a dona de casa Ana Xavier, em comum acordo com os demais moradores, propôs a Prefeitura de Mossoró, em carater de emergência, recuperar o básico da escola nova para se começar as aulas em no máximo 15 dias. Segundo ela, havendo gente trabalhando e fiscalizando a obra, antes disto daria para concluir o prédio.

Entretanto, a secretária Magali Delfino não concordou, de imediato, com a proposta de Ana Xavier. Agendou reunião com a secretaria de Infraestrutura, Kátia Pinto. Os vereadores e Ana Xavier se fizeram presente nesta reunião, buscando uma saída. Desta vez a Prefeitura apresentou proposta idêntica a Ana Xavier, no sentido de adotar medidas para as aulas começarem no prédio novo em 15 dias e concluir o restante depois.

As aulas deveriam ter iniciado nesta segunda-feira, 13, o que terminou não acontecendo. Os trabalhadores na obra estão sem fiscalização alguma. "Nós é que estamos lá acompanhando e fiscalizando. Só ajeitaram a cozinha e hoje estavam mexendo na caixa d'água. Se continuar assim, não começa nem na outra semana", reclama Ana Xavier, revelando que na verdade o que os moradores querem é que a obra seja concluída.

Diante do quadro, os agricultores de Alagoinha e das seis comunidades do entorno vão hoje na Secretaria de Educação do município cobrar explicações da secretaria Magali Delfino. Em contato com o MOSSORÓ HOJE, os vereadores da bancada de oposição, que acompanham os fatos desde o início, disseram que também vão se fazer presente junto com os moradores das comunidades para exigir explicações da secretaria.

A gestão de Magali Delfino, do Governo Rosalba Ciarlini, segundo os mroadores, já vem enganando eles desde o início de 2017, quando prometeu concluir a escola em 90 dias. Terminou o ano e não fez qualquer serviço no prédio para concluir. Quando começou o inverno, o prédio antigo começou a ruir. As paredes molhadas começaram a dá choque e os pais não permitiram, por uma questão de segurança, que os filhos entrassem no prédio.

O quadro das escolas do município é extremente grave, não só em Alagoinhas mas em todas as outras comunidades. Em alguns casos, as escolas não passaram pela manutenção que deveriam ter passado em 2017 e em outros casos, as escolas novas que deveriam ter sido concluídas, viraram ruinas. Estão abandonadas. Inclusive, na zona urbana de Mossoró são várias nestas condições, gerando protestos dos pais.

Veja mais
Pais denuncia falta de aulas em creche devido a obra paralisa em Mossoró




 


Notas

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário