25 NOV 2020 | ATUALIZADO 18:31
POLÍCIA
Da redação
15/09/2016 05:41
Atualizado
14/12/2018 08:48

'Ela estava com o pescoço quebrado', diz perito do ITEP que removeu o corpo de Valéria Patrícia

A+   A-  
Universitária de 20 anos estava desaparecida desde o meio dia domingo (11). Corpo foi localizado embaixo de um pé de jurema, na região sul do município de Mossoró, mesmo local que teria sido vista pela última vez
Imagem 1 -  'Ela estava com o pescoço quebrado', diz perito do ITEP que removeu o corpo de Valéria Patrícia
Josemário Alves / MH
O corpo da universitária Valéria Patrícia, de 20 anos, que estava desaparecida desde o último domingo (11), foi encontrado por um lenhador na manhã desta quinta-feira (15) em uma área de matagal ao sul a cidade de Mossoró, mesma região onde foi vista pela última vez.

O cadáver estava em estado de decomposição e possuía marcas de violência no pescoço.
 


De acordo com a perícia do ITEP, a universitária no curso de enfermagem teria sido esganada até a morte. O local onde o corpo foi encontrado possui pouca movimentação de veículos e fica localizado às margens de uma estrada carroçável, entre Mossoró e Upanema.

O perito Joaquim Guimarães acredita que ela tenha sido morta em outro local e o corpo abandonado no matagal. Teria sido necessário um veículo para transportar o corpo. Joaquim Guimarães também assegura que não houve violência sexual. A Polícia Civil trabalha nas investigações.

Foto: Alcivan Villar


O cadáver foi levado para a sede do ITEP, para ser examinado e confirmar oficialmente que se trata da estudante. Ocorre que o ITEP está sem legista nesta quinta-feira,15, também na sexta e também no sábado. O profissional que estava escalado para estes dias apresentou atestado médico.

Como a direção geração do ITEP só tem 3 médicos legistas na região de Mossoró, que cobre 64 municípios, fica difícil consegui um profissional para examinar o corpo de Valéria Patrícia e libera-lo. O delegado José Vieira prometeu intervir no caso, considerado a urgência.

Na manhã desta quinta-feira, 15, o delegado José Vieira recebeu o reforço do delegado Rafael Arraes, da Delegacia de Homicídio, de Mossoró. Eles estiveram no local que foi encontrado o corpo e após conversa com familiares no ITEP, saíram com a equipe do ITEP para fazer perícias.

Em entrevista ao MOSSORÓ HOJE, os delegados disseram que a família está tendo dificuldades para reconhecer o corpo no ITEP e revelaram também que o local onde a vítima estava foi descoberto pelo lenhador devido a grande quantidade de urubus no local.


Rafael Arraes confirma que os trabalhos de investigação do caso Valéria Patrícia será feita pela 1a DP em conjunto com a Homicídios

Leia mais:
Universitária desaparece e família se mobiliza via rede social para localizá-la
Marido e pai gravam vídeo pedindo ajuda para localizar Valéria Patrícia
Último contato de Valéria Patrícia via WhatsApp foi às 12h36 de domingo, diz delegado
"Até agora nada", diz marido da estudante de enfermagem desaparecida há três dias


Valéria Patrícia desapareceu por volta do meio dia de domingo (11), quando saiu de casa no bairro Planalto 13 de Maio para limpar uma casa, recém-comprada, no bairro Sumaré. O sumiço foi percebido pelo esposo, Thiago Cavalcanti, devido a demora da jovem. Ele tentou ligar para ela, mas o celular estava desligado.

Cerca de duas horas depois, a moto de Valéria foi encontrada em uma estrada carroçável com um princípio de incêndio.

Desesperados, os familiares inciaram buscas pela áera, mas não encontraram-na. No dia seguinte procuraram a polícia e comunicaram o fato. O desaparecimento misterioso da universitária começou a ser investigado no início pelo delegado José Vieira, substituto da 1a Delegacia de Policia de Mossoró.
Imagem 2 -  'Ela estava com o pescoço quebrado', diz perito do ITEP que removeu o corpo de Valéria Patrícia

Notas

AME

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário