21 JUN 2021 | ATUALIZADO 18:23
POLÍCIA
Da redação
19/07/2017 05:46
Atualizado
14/12/2018 08:57

Assassinato do agente penitenciário Henry Charles, em Mossoró, foi planejado há 2 anos pelo PCC, diz PF

A+   A-  
Operação da Polícia Federal cumpre mandados judiciais em Mossoró, Rio de Janeiro e São Paulo. Acusados são integrantes da facção "PCC" que teriam plano para executar outros agentes penitenciários federal no Brasil.
Imagem 1 -  Assassinato do agente penitenciário Henry Charles, em Mossoró, foi planejado há 2 anos pelo PCC, diz
A Policia Federal deflagrou na manhã desta quarta-feira, (19), a operação Força e União visando desarticular movimento arquitetado em unidades prisionais federais que tinha como objetivo o assassinato de Agentes Públicos em resposta ao que internos do Primeiro Comando da Capital (PCC) chamam de “opressão”, o que na verdade é a aplicação de regime disciplinar mais rígido, legalmente imposto dentro das Penitenciárias Federais.

Cerca de 30 policiais federais estão cumprindo 8 mandados de busca e apreensão, sendo 4 no Rio de Janeiro, 4 em São Paulo, 1 mandado de condução coercitiva no Rio de Janeiro, além de 5 mandados de prisão preventiva, 1 em Mossoró e 4 em São Paulo.

De acordo com os levantamentos, a facção criminosa PCC assassinou dois Agentes Penitenciários Federais, em menos de um ano: Alex Belarmino Almeida Silva em setembro de 2016, na cidade de Cascavel/PR e Henry Charles Gama Filho em abril de 2017, em Mossoró/RN. 

No decorrer da investigação do homicídio do Agente Federal de Execução Penal Alex Belarmino, foi descoberto que a facção tinha planos de executar dois Agentes Públicos por unidade prisional. 

Já em relação ao Agente Henry, as investigações apontaram que sua morte havia sido planejada há dois anos na cidade de São Paulo e teve início através de integrantes do PCC envolvidos na coleta de dados, preparo da ação e com participação de pessoas próximas da vítima.

As investigações demonstraram, também, que não há pessoalidade nas ações do PCC, que escolhe seus alvos em razão das informações e de uma maior vulnerabilidade com o fim de se executar um plano preciso e sem deixar indícios de autoria.
 

Notas

Posto JP - Maio de 2021

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário