25 JAN 2022 | ATUALIZADO 16:18
SAÚDE
Da redação
13/03/2015 11:55
Atualizado
13/12/2018 09:41

Prefeitura de Mossoró garante moradia para desabrigados do Wilson Rosado

A+   A-  
Após tumulto entre os moradores, o acordo foi feito em reunião realizada na manhã desta sexta-feira, 13, com Prefeito, desabrigados e demais autoridades.

As 15 famílias moradoras do Conjunto Wilson Rosado, zona oeste de Mossoró, que teriam que deixar suas residências nesta sexta-feira, 13, serão remanejadas para o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) do bairro Santo Antônio, temporariamente.

A área é de propriedade da Companhia Hidrelétrica do Vale do São Francisco (Chesf), e a desapropriação está sendo feita mediante ordem judicial.  

O acordo de remanejamento das famílias foi feito no início da tarde, durante reunião realizada entre o prefeito Francisco José Silveira Júnior, representantes da Ordem Nacional dos Advogados, Caixa Econômica Federal e 14 moradores, no Palácio da Resistência.

De acordo com o prefeito “nós resolvemos a questão emergencial, essas pessoas que não tinham pra onde ir, já tem um local pra irem, um local com dignidade, não era ideal, mas pela emergência, é o melhor”.

Segundo Francisco José Júnior, as famílias têm a opção de irem para um novo empreendimento localizado no Alto da Pelonha que será entregue em outubro deste ano.

“Caso não queiram ir para o Alto da Pelonha, eles pode esperar as 150 casas que serão entregues daqui a 18 meses, no mesmo Conjunto Wilson Rosado, as casas são contempladas no programa Minha Casa Minha Vida” afirma Francisco Silveira.

Durante a reunião, o prefeito afirma também que será realizado pela Secretaria de Assistência Social, um cadastramento dos moradores do conjunto Wilson Rosado que foram desabrigados, para que estes possam ser comtemplados com as próximas casas a serem entregues.

Diversos moradores em contato com o MOSSORÓ HOJE, destacaram que em meio a situação conflitante, o que importa no momento é ter um local para residirem. E que, em breve, eles sejam relocados para residências próprias, o que foi garantido pelo Poder Executivo.

“É a nossa única opção por enquanto, é isso ou ficar na rua” declarou a moradora Maria Neuma Fernandes.

“Agora o jeito é esperar...” diz Everton, outro morador que também será remanejado para o CRAS do Santo Antônio.

O prefeito Francisco José Silveira Júnior, garantiu ainda que a Prefeitura apoiará, junto com a Ordem Nacional dos Advogados, às famílias que não tiveram suas casas atingidas, para que não haja mais desapropriação até que as novas casas sejam entregues.

A área onde se localiza o Conjunto Wilson Rosado se configura como local de risco para moradores por conta de fios de alta tensão, de propriedade da Companhia Hidrelétrica do Vale do São Francisco. No entanto, como foi relatado a nossa reportagem, há pessoas que ocupam o local a aproximadamente 20 anos.

O despejo acontece sob ordem judicial.

Desapropriação do Conjunto Wilson Rosado

No momento em que acontecia a reunião entre o prefeito, moradores e outras autoridades, diversos moradores do conjunto Wilson Rosado que ficaram do lado de fora do Palácio da Resistência, impediram a passagem do trânsito, mas logo liberaram.  

Durante o tumulto causado pela desapropriação de 15 famílias do conjunto Wilson Rosado, na manhã desta sexta-feira, 13, um homem conhecido como “Paulista” foi apreendido pela Polícia Militar por atear fogos a móveis como forma de protesto à ordem de despejo.

Ainda no conjunto Wilson Rosado, Francisco Antônio da Silva, de 54 anos, passou mal e foi imediatamente levado a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Santo Antônio.

Notas

Tekton

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário