23 JUL 2019 | ATUALIZADO 09:01
POLÍCIA

Acusada de ajudar o filho no assassinato de Ildônio é presa em Mossoró

Prisão de Rosilene Araújo de Oliveira, de 55 anos, aconteceu no bairro Sumaré, em Mossoró; Além de agentes da Delegacia Regional de Mossoró, participaram também agentes da Divisão de Homicídios e Proteção a Pessoa
06/02/2019 18:25
Atualizado
06/02/2019 18:46
A+   A-  
Acusada de ajudar o filho no assassinato de Ildônio é presa em Mossoró
Rosilene e a filha Aysla Melquíades Oliveira, de 23 anos, já haviam sido presas e autuadas em flagrante por ajudar os filhos a fugirem do cerco policial.
FOTO: CEDIDA

A dona de casa Rosilene Araújo de Oliveira, de 55 anos, acusada de dar suporte a quadrilha que matou o soldado Ildônio José, no dia 16 de agosto, na RN 117, foi presa no final da tarde desta quarta-feira, 6, pelos agentes da Delegacia Regional de Mossoró.

A prisão aconteceu no bairro Sumaré, zona sul de Mossoró. Rosilene Araújo estava em prisão domiciliar e só deveria se ausentar de sua residência, em Caraúbas, após comunicar a Justiça. Entretanto, ela saiu e não avisou ao juiz que estava vindo para Mossoró.

Após o assassinato brutal do soldado Ildônio, no dia 16 de agosto, a policia chegou até os nomes dos envolvidos diretamente. Entre os membros da quadrilha, dois filhos de Rosilene Araújo participaram diretamente do crime. Os dois foram presos.

Porém, antes, Rosilene e a filha Aysla Melquíades Oliveira, de 23 anos, foram presas e autuadas em flagrante por ajudar os filhos a fugirem do cerco policial. As duas terminaram autuadas por associação criminosa. Já foram denunciadas pelo Ministério Público Estadual.

Em seguida Rosilene Oliveira conseguiu decisão judicial para cumprir prisão domiciliar, alegando problemas de saúde. Não podia sair de casa sem comunicar a Justiça. Ela saiu e terminou presa em Mossoró pelos agentes da Delegacia Regional e de Homicídios.


Notas

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário