24 ABR 2019 | ATUALIZADO 22:38
MOSSORÓ

Agentes de endemias de Mossoró não recebem material de trabalho há 8 anos

Além da falta de condições de trabalho, o número de agentes de endemias nas ruas é muito abaixo do necessário; Insatisfeitos com o quadro caótico que trabalham, os agentes de endemias preparam parada de advertência para o dia 20 próximo
CEZAR ALVES, DA REDAÇÃO
12/02/2019 07:48
Atualizado
14/02/2019 08:51
A+   A-  
Agentes de endemias não recebem material de trabalho há oito anos
Agentes de Endemias reclamam que o Governo Federal envia recursos para o município custear, com qualidade, o trabalho dos agentes de endemias, mas que estes recursos não estariam sendo aplicados em benefício; Vão fazer parada de advertência no próximo dia 20
FOTO CEZAR ALVES

Os Agentes de Endemias tem papel de extrema importância no trabalho preventivo de saúde, entretanto, o centro de zoonoses de Mossoró/RN foi fechado em 2018.

Além de fechado, os poucos agentes nas ruas não recebem protetor solar, chapéu, bolsa de trabalho, fardamento, óculos de proteção, calçado, entre outros EPIs, desde 2011.

Os agentes de endemias contaram ao MOSSORÓ HOJE que não existe razão para a Prefeitura de Mossoró não pagar seus direitos e nem comprar os EPIs para eles trabalharem.

Segundo eles, o município de Mossoró vem recebendo regularmente os recursos do Governo Federal para cobrir todas essas necessidades do programa de combate às endemias.

Esta informação dos repasses está no site do Ministério da Saúde - Fundo Nacional de Saúde (FNS), além do Programa de Qualificação das Ações em Vigilância a Saúde (PQAVS).

Em Mossoró, existem cerca de 200 agentes de endemias, mas isto só no papel. Trabalhando de casa em casa são, no máximo, 90, e assim mesmo existem os que estão afastados.

Com poucos agentes, sem treinamento adequado e material de expediente, o trabalho de combate ao aedes aegypti, que transmite a dengue, zikavirus e chikungunya, está prejudicado.

Além disto, também está prejudicado o trabalho de imunização de animais que transmitem a raiva humana, como cães, gatos, morcegos, macacos, raposas, entre outros.

Também está prejudicado o trabalho para evitar zoonoses como leishmaniose (calazar), doença de chagas e leptospirose (transmitida através da urina dos ratos).

A Prefeitura de Mossoró também não está ofertando o vale transporte e os agentes reclamam que estão sendo pressionados a cobrir além da sua zona de até 1000 imóveis.

Diante do quadro de muitas dificuldades, os agentes de endemias disseram que procuraram os gestores do município, que disseram que estão fazendo licitação para compra de material.

Diante do quadro  está sendo organizada uma parada de advertência para o próximo dia 20, em Mossoró.


Agentes de endemias não recebem material de trabalho há oito anos

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário