19 MAI 2019 | ATUALIZADO 11:37
ESTADO

Cobrança de Taxa do Corpo de Bombeiros no IPVA é suspensa pelo TJRN

A taxa havia começado a ser cobrada este ano, junto com o licenciamento do veículo.
COM INFORMAÇÕES DO G1
13/03/2019 12:45
Atualizado
13/03/2019 12:45
A+   A-  
Cobrança de Taxa do Corpo de Bombeiros no IPVA é suspensa pelo TJRN
A decisão da suspensão foi teve como placar 8 votos a 6, com maioria absoluta sobre a concessão da liminar pedida pelo Ministério Público
FOTO: MARIANA ROCHA

Por oito votos a seis, os desembargadores do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN) suspenderam, nesta quarta-feira (13), a cobrança da taxa do Corpo de Bombeiros, que começou a ser cobrada junto com o licenciamento dos veículos neste ano, no estado.

Os efeitos da Lei Complementar Estadual nº 612/2017, que instituiu taxa, foram suspensos até o julgamento do mérito da ação, que ainda não tem data marcada, segundo o tribunal.

O julgamento havia sido suspenso em 27 de fevereiro, com o placar parcial de 7 votos a 6 pela suspensão. Na manhã, a desembargadora Zeneide Bezerra proferiu seu voto, dando maioria absoluta a posição sobre a concessão da liminar pedida pelo Ministério Público.

A taxa cobrada é de R$ 15 para motocicletas, R$ 25 para carros de passeio, R$ 40 para coletivos urbanos e rodoviários, como ônibus e semelhantes, R$ 50 para transporte de carga não perigosa e R$ 80 para os de carga perigosa.

DEVOLUÇÃO

O vencimento previsto para a taxa era o dia 20 de março. Muitos motoristas já pagaram. Porém, nesta etapa da ação, o que foi atendido está relacionado ao pedido cautelar do Ministério Público Estadual, suspendendo os efeitos da lei que determina a cobrança.

Como o mérito da ação ainda não foi analisado pelos desembargadores, o contribuinte que já pagou a taxa ainda não pode pedir a devolução do valor pago até que a questão seja resolvida definitivamente.

Caso no julgamento do mérito a cobrança seja declarada inconstitucional, quem já pagou poderá entrar com uma ação de repetição de indébito, solicitando o reembolso.


Notas

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário