06 JUN 2020 | ATUALIZADO 16:10
ESTADO
22/04/2019 20:06
Atualizado
23/04/2019 09:34

Governo vai aumentar sangradouro para evitar rompimento de açude

A+   A-  
Açude São Miguel II fica no município de Fernando Pedroza, mesma região que se rompeu o Açude São Miguel I na tarde noite de sábado, 20, passado, destruindo a encosta de uma ponte na RN 041 e danificando a BR 304
Imagem 1 -  Governo vai aumentar sangradouro para evitar rompimento de açude. Açude São Miguel II fica no município de Fernando Pedroza, mesma região que se rompeu o Açude São Miguel I na tarde noite de sábado, 20, passado, destruindo a encosta de uma ponte na RN 041 e danificando a BR 304
Governo vai aumentar sangradouro para evitar rompimento de açude. Açude São Miguel II fica no município de Fernando Pedroza, mesma região que se rompeu o Açude São Miguel I na tarde noite de sábado, 20, passado, destruindo a encosta de uma ponte na RN 041 e danificando a BR 304
FOTO DEMIS ROUSSOS

O Governo do Estado do Rio Grande do Norte montou uma força-tarefa para conter o risco de rompimento no açude São Miguel II, em Fernando Pedroza, e avaliar os danos causados pela ruptura que aconteceu sábado (20), no São Miguel I.

Foi decidido, durante reunião na tarde desta segunda-feira (20), que será realizada intervenção no sangradouro do reservatório a fim de diminuir a altura e aumentar a extensão para escoamento da água, impedindo um possível rompimento. 

De acordo com o coordenador estadual da Defesa Civil, tenente coronel Marcos de Carvalho, o rebaixamento ocorrerá pela retirada de um dique, que vai aumentar a vasão do sangramento de forma controlada, sendo 10cm por vez até o volume de 80cm, cota que manterá a barragem em uma situação segura. 

A operação terá início na manhã desta terça-feira (23) com concentração na prefeitura de Fernando Pedroza e deslocamento para o reservatório. “Em virtude da relativa tranquilidade, visto que não há previsão de chuvas daqui para quinta-feira, e em detrimento de outros aspectos, como o rebaixamento da lâmina e do volume de água armazenado no São Miguel II e do maquinário pesado para a obra, iniciaremos a operação amanhã”, justificou Carvalho. 

O chefe da Casa Civil, Raimundo Alves, destacou a união de esforços para evitar um possível rompimento da barragem em propriedade privada. “Todos os órgãos devem ter dedicação exclusiva para esta situação. A força não pode ser apenas do governo e dos municípios, mas envolver todo mundo. É uma questão humanitária”, enfatizou. 

A reunião contou com a participação de representantes da Defesa Nacional, do Exército, da Polícia Rodoviária Federal (PRF), do prefeito de Santana do Matos, Edvaldo Júnior, além de gestores estaduais do Departamento de Estradas e Rodagens (DER), Procuradoria Geral do Estado (PG), Secretaria de Recursos Hídricos e Meio Ambiente (Semarh), Instituto de Gestão das Águas do Estado do Rio Grande do Norte (Igarn), Defesa Civil, Secretaria de Infraestrutura (SIN), Gabinete Civil, Corpo de Bombeiros Militar (CBM) e Empresa de Pesquisa Agropecuária (Emparn). 

  Monitoramento 

Como a aeronave Potiguar 01, da Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesed), está em manutenção, a governadora Fátima Bezerra entrou em contato com o secretário de Segurança do Ceará, delegado André Costa, para reforçar o pedido feito pelo Estado solicitando o empréstimo de um helicóptero para auxiliar no monitoramento dos açudes e barragens em situação de alerta no Rio Grande do Norte. O Estado do Ceará cedeu a aeronave com efetivo, ficando a cargo do RN os custos com abastecimento. O açude São Miguel 2 tem capacidade para 8,5 milhões de metros cúbicos. 

Imagem 2 -  Governo vai aumentar sangradouro para evitar rompimento de açude

Notas

Compra Notebook

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário