19 JUL 2019 | ATUALIZADO 00:24
Matéria

Plano Safra vai liberar R$ 225 bilhões para pequenos, médios e grandes produtores

O anúncio do valor foi feito nesta terça-feira (18), durante cerimônia no Palácio do Planalto. A liberação dos recursos do plano agrícola começará em julho e seguirá até junho do ano que vem.
COM INFORMAÇÕES DO G1
18/06/2019 15:55
Atualizado
18/06/2019 16:01
A+   A-  
Plano Safra vai liberar R$ 225 bilhões para pequenos, médios e grandes produtores
Plano Safra vai liberar R$ 225 bilhões para pequenos, médios e grandes produtores. De acordo com o governo, os beneficiários Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar terão R$ 31,22 bilhões à disposição.
FOTO: FERNANDO MARTINHO

O governo anunciou nesta terça-feira (18), durante cerimônia no Palácio do Planalto, a liberação de R$ 225,59 bilhões em financiamentos por meio do Plano Safra 2019/2020 para os pequenos, médios e grandes produtores.

O valor é pouco acima dos R$ 225,3 bilhões anunciados na safra passada. A liberação dos recursos do plano agrícola começará em julho e seguirá até junho do ano que vem.

O valor total do plano deste ano será distribuído da seguinte maneira:

R$ 169,33 bilhões para o custeio, comercialização e industrialização;

R$ 53,41 bilhões para investimentos;

R$ 1 bilhão para seguro rural;

R$ 1,85 bilhão para apoio à comercialização.

O Ministério da Agricultura informou que as taxas de juros, para custeio, comercialização e industrialização, serão de 3% e 4,6% ao ano para pequenos produtores, participantes do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Outros 6% ao ano serão destinados ao médios produtores; 8% para os grandes produtores.

Nas linhas destinadas a investimentos, os juros cobrados vão variar de 3% a 10,5% ao ano.


AGRICULTURA FAMILIAR

Segundo o governo, os produtores beneficiários do Pronaf terão R$ 31,22 bilhões à disposição.

Os recursos para custeio ou investimento terão juros de 3% ao ano, na exploração extrativista sustentável e produção de ervas medicinais, aromáticas e condimentares.

Os recursos para custeio também podem ser destinados à produção de alimentos básicos (arroz, feijão, mandioca, trigo, leite, frutas e hortaliças) e para investimento em recuperação de áreas degradadas, cultivo protegido, armazenagem, tanques de resfriamento de leite, energia renovável e outros.

De acordo com o ministério, o governo reservou R$ 500 milhões para construção ou reforma de moradias de pequenos agricultores. O valor é considerado suficiente pela pasta para construir até 10 mil casas.


SEGURO RURAL

De acordo com o governo, o valor da chamada "subvenção" ao seguro rural, de R$ 1 bilhão em 2019/2020, mais do que dobrou em relação ao plano anterior.

Com isso, os produtores terão mais ajuda para adquirir uma apólice de seguro e proteger sua atividade, assegurando o pagamento de obrigações no caso de quebra de safra ocasionada por eventos climáticos ou variação de preços.


Notas

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário