15 NOV 2019 | ATUALIZADO 18:56
ESTADO

Órgãos ambientais devem iniciar na próxima semana estudo na Serra do Patu

Nesta quinta-feira, a Polícia Ambiental, Defesa Civil e Bombeiros já iniciaram os trabalhos de levantamento dos estrados, pessoalmente nas áreas afetadas e usando drones pelo ar
CEZAR ALVES
19/09/2019 18:14
Atualizado
20/09/2019 10:30
A+   A-  
Imagem 1 -  Órgãos ambientais devem iniciar na próxima semana estudo na Serra do Patu
Órgãos ambientais devem iniciar na próxima semana estudo na Serra do Patu
FOTO: LUCIANO KLEITON

A Secretaria Estadual de Recursos Hídricos e Meio Ambiente, em parceria com o IBAMA, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil Estadual e Prefeitura Municipal, já deve iniciar na próxima segunda-feira, dia 23, o trabalho de levantamento dos estragos causados pelo incêndio na serra de Patu, que chegou a ameaçar o Santuário de Nossa Senhora dos Impossíveis.

Nesta quinta-feira, 19, passadas 72 horas do início do fogo, a Polícia Ambiental declarou já ter constatado mortes de animais, aves e principalmente a queima de uma enorme área de vegetação nativa. O cabo Guerra reclama que a própria população nativa, muitas das vezes, é a responsável diretamente pelos incêndios florestais, como este na Serra do Lima.

O tenente coronel Marcos Carvalho, da Defesa Civil Estadual, observou em conversa com o MOSSORÓ HOJE e a SUPERTV, a necessidade do prefeito Rivelino Câmara decretar situação de emergência, para facilitar o trabalho de compra de material e também de contratação de mão de obra especializada para atuar na restauração dos estragos deixados pelo fogo.

Rivelino Câmara, não só decretou situação de emergência, como também a proibição, em definitivo da queima de áreas rurais para fins de preparação de terra. Segundo ele, a vegetação seca, o vento forte pode propagar facilmente as chamas, gerando outro grande incêndio. Ele também quer uma brigada de incêndio do Bombeiros instalado na cidade.

João Maria Cavalcante, da SEMARH, disse que a governadora Fátima Bezerra determinou que todas as secretárias com atuação no meio ambiente deve agir para apagar as chamas e buscar recuperar a fauna e flora. Ele destacou que na próxima segunda-feira, no máximo, já começa o trabalho de levantamento dos estragos e as discussões de como se vai recuperar a área.

Nesta quinta-feira, 19, o Corpo de Bombeiros começou a usar drones, para fazer vídeos e fotos aéreas da área afetada. Os profissionais vão produzir um relatório, com imagens, que vão permitir uma avaliação técnica mais precisa do quadro e, a partir daí, a elaboração, com apoio de todos os órgãos ambientais municipais, estaduais e federais, de um plano de recuperação.

A reportagem da SuperTV e do Mossoró Hoje esteve na Serra do Lima, em Patu.


Notas

Compra Notebook

Publicidades

Eleições 2020 MOSSORÓ

Outras Notícias

Deixe seu comentário