27 SET 2020 | ATUALIZADO 23:02
ESTADO
23/01/2020 15:10
Atualizado
23/01/2020 16:01

Melão do Rio Grande do Norte já pode ser exportado para a China

A+   A-  
Nesta quarta-feira (22) o Departamento de Alfândegas da China (General Administration of Customs People’s Republic of China – GACC), emitiu relatório favorável às exportações de melões oriundos do Brasil. “A expectativa é que nos próximos cinco anos, se possa dobrar a produção local, chegando a 20 mil hectares destinados à exportação para China”, disse o titular da Sape, Guilherme Saldanha.
Imagem 1 -  Melão do RN já pode ser exportado para a China. Nesta quarta-feira (22) o Departamento de Alfândegas da China, emitiu relatório favorável às exportações de melões oriundos do Brasil. “A expectativa é que nos próximos cinco anos, se possa dobrar a produção local, chegando a 20 mil hectares destinados à exportação para China”, disse o titular da Sape, Guilherme Saldanha.
Melão do RN já pode ser exportado para a China. Nesta quarta-feira (22) o Departamento de Alfândegas da China, emitiu relatório favorável às exportações de melões oriundos do Brasil. “A expectativa é que nos próximos cinco anos, se possa dobrar a produção local, chegando a 20 mil hectares destinados à exportação para China”, disse o titular da Sape, Guilherme Saldanha.
FOTO: DIVULGAÇÃO

Uma excelente notícia para fruticultura brasileira. Nesta quarta-feira (22), o Departamento de Alfândegas da China (General Administration of Customs People’s Republic of China – GACC), emitiu relatório favorável às exportações de melões oriundos do Brasil.

O resultado positivo deixou o setor produtivo otimista, principalmente do Rio Grande do Norte, estado maior produtor e exportador da fruta do país. No site do GACC constam os requisitos necessários para a exportação da fruta.

O Governo do RN, por meio da Secretaria da Agricultura, da Pecuária e da Pesca (Sape), o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a Superintendência Federal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SFA) dos Estados do RN e CE, o Comitê Executivo de Fruticultura do Rio Grande do Norte (Coex-RN), os órgãos de defesa do Instituto de Defesa e Inspeção Agropecuária (Idiarn) e a Agência de Defesa Agropecuária (Adagri), que há anos lutam para impulsionar o setor, receberam com bastante entusiasmo o comunicado.

Para o titular da Sape, Guilherme Saldanha, a medida é resultado de uma política de incentivo e atração de empresas da governadora Fátima Bezerra, voltada para o fortalecimento do agronegócio potiguar, o que facilitou as negociações com o país asiático.

“A expectativa é que nos próximos cinco anos, se possa dobrar a produção local, chegando a 20 mil hectares destinados à exportação para China. O que deve desencadear a abertura de aproximadamente 60 mil novos postos de empregos para atender a demanda. Possivelmente teremos embarques ainda nesta safra para os chineses”, destacou Saldanha.

É importante ressaltar que as negociações entre o RN e a China para comercialização da fruta e outros produtos, tiveram início em julho de 2019, com a visita da Cônsul Geral da República Popular da China no Brasil, Yan Yuqing, a convite da governadora Fátima Bezerra.

Veja mais:

Chineses realizam visita técnica nos campos de melão do RN

Melão impulsiona número de exportações do RN para outros países


Posteriormente a chefe do Executivo Estadual, a convite do Banco da China, esteve no país asiático, entre os dias 26 de novembro e 2 de dezembro de 2019, prospectando investimentos para o estado.

Por fim, na semana passada, entre os dias 12 e 17, um grupo de técnicos chineses estiveram visitando grandes fazendas de melão do RN, para avaliar as condições fitossanitárias de produção.

A comitiva foi acompanhada por técnicos Mapa, Governo do RN, Sape, Idiarn e Coex, instituição responsável pelo monitoramento e fiscalização do controle de moscas das frutas no RN, área reconhecida como livre da praga, única no Brasil.


Notas

AME

Outras Notícias

Deixe seu comentário