08 ABR 2020 | ATUALIZADO 10:43
MOSSORÓ
DA REDAÇÃO, COM INFORMAÇÕES DA SUPER TV
21/02/2020 10:18
Atualizado
21/02/2020 15:15

“Nós estamos entregues às baratas”, diz Padre da Maísa, Gláudio Fernandes

A+   A-  
Em entrevista a repórter Solange Santos, da Super TV, o Padre explicou que a população se sente prejudicada, visto que grande parte da economia do município de Mossoró sai da Maísa, através da fruticultura, mas esse dinheiro não volta em forma de investimentos e benefícios para a comunidade; confira a entrevista.
Imagem 1 -  “Nós estamos entregues às baratas”, diz Padre da Maísa, Gláudio Fernandes. Em entrevista a repórter Solange Santos, da Super TV, o Padre explicou que a população se sente prejudicada, visto que grande parte da economia do município de Mossoró sai da Maísa, através da fruticultura, mas esse dinheiro não volta em forma de investimentos e benefícios para a comunidade; confira a entrevista.
“Nós estamos entregues às baratas”, diz Padre da Maísa, Gláudio Fernandes. Em entrevista a repórter Solange Santos, da Super TV, o Padre explicou que a população se sente prejudicada, visto que grande parte da economia do município de Mossoró sai da Maísa, através da fruticultura, mas esse dinheiro não volta em forma de investimentos e benefícios para a comunidade; confira a entrevista.
FOTO: REPRODUÇÃO

Em entrevista a repórter Solange Santos, da Super TV, o Padre Gláudio Fernandes, da Paróquia Rural da Comunidade Maísa, na Zona Rural de Mossoró, disse que a região está “entregue às baratas”.

O Padre contou que não apenas a segurança está deficiente na comunidade, mas a educação, a saúde, e os serviços urbanos também estão sendo um grande problema para a população.

“Aqui nós não temos pavimentação. A saúde, são 30 fichas distribuídas semanalmente, 15 num dia e 15 no outro. A questão da educação, temos a escola estadual que agora está passando por reforma, numa grande dificuldade de deslocar esses alunos para outro ambiente porque não tem espaço na comunidade”.

Gláudio explicou que a população se sente prejudicada, visto que grande parte da economia do município de Mossoró sai da Maísa, através da fruticultura, mas esse dinheiro não volta em forma de investimentos e benefícios para a comunidade.

“Pra você ter uma ideia, uma comunidade gigantesca como essa, com quase 4 mil pessoas, não temos uma praça, não temos uma quadra de esportes e aí ficamos a mercê da sociedade, do estado e também da bandidagem”, disse.

De acordo com o censo do Sindicato Rural, a Maísa tem cerca de 18 mil habitantes atualmente.


Notas

Brinds

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário