08 AGO 2020 | ATUALIZADO 13:32
POLÍCIA
24/05/2020 09:29
Atualizado
24/05/2020 12:57

Polícia Civil abre inquérito policial contra a Oeste Cap, em Mossoró/RN

A+   A-  
A Oeste Cap, que teve os carros apreendidos, não tinha autorização do Governo Federal para realizar bingos e não estavam repassando os percentuais corretos para as instituições como Liga Mossoroense de Combate ao Câncer e a Cruz Vermelha; Até a Justiça já havia sido acionada
Imagem 1 -  A Oeste Cap, que teve os carros apreendidos, não tinha autorização do Governo Federal para realizar bingos e não estavam repassando os percentuais corretos para as instituições como Liga Mossoroense de Combate ao Câncer e a Cruz Vermelha; Até a Justiça já havia sido acionada
A Oeste Cap, que teve os carros apreendidos, não tinha autorização do Governo Federal para realizar bingos e não estavam repassando os percentuais corretos para as instituições como Liga Mossoroense de Combate ao Câncer e a Cruz Vermelha; Até a Justiça já havia sido acionada

Os bingos da Oeste Cap estavam sendo realizados, em Mossoró-RN, sem a devida autorização da Secretaria de Avaliação, Planejamento, Energia e Lotérica (SECAP), do Governo Federal. Este fato foi comprovado pela Polícia Civil neste sábado, 23.

Na realização dos eventos sem autorização, por parte da empresa ASAF Empresarial Eirelli (Oeste Cap), informavam em sua publicidade que estavam repassando um percentual do lucro para a Cruz Vermelha e para a Liga Mossoroense de Estudos e Combate ao Câncer.

Entretanto, quando analisado os números, descobriu-se que a Oeste Cap, na verdade, estava apenas usando estas duas instituições para realizar os bingos ilegais e obter mais lucros. Inclusive a Cruz Vermelha já acionou a Justiça para cobrar os valores devidos pela Oeste Cap.

Diante dos fatos, o delegado Luiz Fernando Sávio Eliezer do Santos apreendeu documentos e veículos, que estavam na sede da empresa, na Rua Juvenal Lamartine, no Centro de Mossoró, e iniciou o processo de identificação oficial dos responsáveis pela atividade ilegal.

Até então, segundo o delegado Luiz Fernando, havia somente um TCO em aberto, mas, de agora em diante, o caso deve ser investigado em inquérito policial, e os responsáveis pelo provável que sejam indiciados, entre outros crimes, por formação de quadrilha ou bando.

Os nomes dos responsáveis pelos bingos ilegais da Oeste Cap não foram divulgados pela autoridade policial, porém é de conhecimento público de que se trata de pessoas importantes na sociedade, inclusive políticos, agentes de segurança e etc.

No inquérito policial, o delegado Luiz Fernando vai investigar os crimes de sonegação fiscal, lavagem de dinheiro e apropriação indébita. A Oeste Cap deve divulgar uma nota a respeito da ação policial ainda hoje.

Notas

AME

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário