25 NOV 2020 | ATUALIZADO 18:31
EDUCAÇÃO
COM INFORMAÇÕES DO BLOG DO SAULO VALE
16/06/2020 10:51
Atualizado
16/06/2020 10:55

Ufersa define lista tríplice para a reitoria; Nomes segues para nomeação do Presidente

A+   A-  
A eleição para escolha dos três candidatos mais bem votados para o cargo de Reitor da instituição foi realizada nesta segunda-feira (15). A comunidade acadêmica escolheu Rodrigo Codes, tendo como segundo e terceiro lugares Jean Berg e Ludimilla Oliveira; A nomeação de deles cabe ao Presidente da República Jair Bolsonaro.
Imagem 1 -
FOTO: REPRODUÇÃO

O professor Rodrigo Codes foi o nome mais bem votado para consulta a comunidade acadêmica da Ufersa para escolha do novo reitor da instituição.

A eleição aconteceu nesta segunda-feira (15) e o resultado foi divulgado pouco tempo após o encerramento do pleito, por volta das 20h10.

Os outros dois nomes que entraram na lista tríplice foram os dos professores Jean Berg, em segundo lugar, e Ludimilla Oliveira, em terceiro.

A lista com os três nomes segue agora para nomeação de um deles pelo Presidente Jair Bolsonaro, a quem cabe a decisão final.

Em entrevista o Blog do Saulo Vale, o primeiro lugar na composição da lista tríplice, Rodrigo Codes, defendeu a sua nomeação para reitor da instituição, dizendo que o desejo da comunidade precisa ser respeitado.

"Agradeço o resultado das eleições. Ganhamos nos três segmentos: estudantes, professores e técnicos. Espero que a soberania da universidade seja respeitada. É legal o presidente da República escolher qualquer um da lista tríplice, mas não seria bom para a universidade nomear alguém que não teve a maioria de votos. O desejo da comunidade precisa ser respeitado", defendeu.

A posição também foi defendida pelo segundo mais bem votado, o professor Jean Berg Alves. "Eu já me comprometi na campanha e fiz um vídeo falando sobre isso. O resultado da maioria deve ser respeitado. É a democracia. Se eu for, não aceito de jeito nenhum", afirmou.

Já a terceira colocada no pleito, a professora Ludimilla Oliveira, afirmou que aceitaria sim ser nomeada pelo presidente e que não há ilegalidade nisso.

"Eu aceito o cargo, caso seja nomeada, sim. A democracia está em qualquer um dos nomes da lista tríplice ser nomeado. Pode colocar. Eu, Ludimilla Carvalho Serafim de Oliveira, aceito o cargo, caso seja nomeada pelo presidente, porque não há nada de ilegal nisso".


Notas

AME

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário