22 SET 2020 | ATUALIZADO 18:31
MOSSORÓ
31/07/2020 15:28
Atualizado
31/07/2020 15:30

Bombeiros já atenderam a 236 ocorrências com enxames de insetos em Mossoró

A+   A-  
O dado corresponde aos primeiros 6 meses de 2020. De acordo com o Relatório Mensal de Atividades do CMB Mossoró, perigos dessa natureza fizeram as ocorrências registradas na cidade e região. Os bombeiros recomendam alguns cuidados em caso de se deparar com algum exame; confira
Imagem 1 -
FOTO: ARQUIVO

Os pedidos de socorro onde o risco envolve enxames de insetos lideram as estatísticas de ocorrências registradas pelo Corpo de Bombeiros em Mossoró e região.

Nos primeiros seis meses de 2020, das 547 ocorrências atendidas, 236 correspondia a algum tipo de perigo desta natureza.

Os dados foram coletados através dos Relatórios Mensais de Atividades (RMA) e divulgados nesta sexta-feira (31) pela Diretoria de Engenharia e Operações (DEO) do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte.

Sabendo que o serviço de captura de insetos é o mais solicitado pela população da região, a Unidade do Corpo de Bombeiros de Mossoró, através da DEO, adicionou recentemente mais uma guarnição de captura de enxames de insetos.

Por outro lado, pensando na segurança da sociedade, a Corporação recomenda os seguintes cuidados em caso de formação de colmeias:

• Use roupas claras, pois as escuras atraem abelhas;

• Não grite, pois as abelhas são atraídas por ruídos;

• É importante ter bastante atenção ao passar por locais de mata;

• Evite movimentos bruscos e excessivos quando próximo a colmeias;

• Evite operar qualquer máquina barulhenta próximo a colmeias;

• Afaste os animais domésticos do enxame, qualquer barulho que eles façam, poderá irritá-las e desencadear um ataque;

• Ao se deparar com um enxame de abelhas em deslocamento, abaixe-se e se perceber que será atacado, corra, preferencialmente em ziguezague;

• Ensine as crianças a se precaver e não matar as abelhas;

• Caso seja alérgico a picadas, pergunte ao seu médico o que fazer;

• Caso alguém seja picado, é importante que faça a remoção imediata dos ferrões, pois eles continuam liberando o veneno;

• Em casos de formação de colmeias em residências, o proprietário deve acionar imediatamente o Corpo de Bombeiros Militar através do 193.


Notas

AME

Outras Notícias

Deixe seu comentário