30 SET 2020 | ATUALIZADO 18:42
MUNDO
COM INFORMAÇÕES DO G1
04/08/2020 16:45
Atualizado
04/08/2020 16:45

Governo libanês contabiliza ao menos 25 mortos em explosão em Beirute

A+   A-  
A explosão aconteceu na região portuária de Beirute, no Líbano, nesta terça-feira (4). O ministro da Saúde do Líbano, Hamad Hasan, disse que há cerca de 2,5 mil feridos. A causa da explosão ainda é desconhecida.
Imagem 1 -
FOTO: MOHAMED AZAKIR/REUTERS

Uma explosão aconteceu na região portuária de Beirute, no Líbano, nesta terça-feira (4). Imagens mostram uma grande coluna de fumaça avermelhada sobre a área.

O governo libanês contabiliza ao menos 25 mortos após a explosão. Em entrevista a uma rede de televisão, o ministro da Saúde do Líbano, Hamad Hasan, disse que há cerca de 2,5 mil feridos. Inicialmente, o governo havia falado em 30 mortes e 3 mil feridos.

O chefe do escritório local da Cruz Vermelha citou 2,2 mil feridos, mas reconheceu que o número "deve ser ainda maior".

Ainda não é possível saber com exatidão a quantidade de feridos ou qual seria a causa da explosão. Apesar de o país já ter sido alvo de terroristas e viver período de instabilidade política, não há evidência ainda de que se trate de um atentado terrorista.

A explosão no porto causou destruição em larga escala e quebrou o vidro de janelas a quilômetros de distância.

Alguns barcos que navegavam próximos à costa do Líbano chegaram a ser balançados pela força da explosão. As explosões chegaram a ser ouvidas em Larnaca, no Chipre, a pouco mais de 200 km da costa libanesa.

O chefe de segurança interna do Líbano, Abbas Ibrahim, disse em entrevista a uma rede de televisão que a explosão aconteceu em uma área que armazena materiais altamente explosivos, como o nitrato de amônio, mas que não são explosivos em si.

O primeiro-ministro libanês, Hassan Diab, disse em um pronunciamento que o país enfrenta uma catástrofe e que Beirute está de luto. Ele disse também que o governo irá investigar "este armazém perigoso" que funcionava no porto da capital desde 2014.

A Cruz Vermelha disse também que há barcos operando no resgate de pessoas que foram jogadas ao mar. Parte dos atingidos foi levada a hospitais, mas ainda há gente presa nos escombros e dentro de suas casas.

A emissora libanesa LBCI informou que o hospital Hôtel-Dieu de France, no centro da capital libanesa, atende mais de 500 feridos e fez um pedido de doação de sangue.

Há operações para retirar as pessoas da região, de acordo com agência oficial, a NNA.

Um fotógrafo da agência norte-americana Associated Press, que trabalha perto do porto de Beirute, contou ver pessoas feridas no chão e uma destruição generalizada no local.


Notas

AME

Outras Notícias

Deixe seu comentário