31 OUT 2020 | ATUALIZADO 18:58
SAÚDE
09/10/2020 00:19
Atualizado
09/10/2020 11:56

Cirurgia inédita no RN será realizada neste sábado na Maternidade Almeida Castro

A+   A-  
Um dos mais conceituados cirurgiões do País, Maurício Saito, de São Paulo, vem a Mossoró realizar a cirurgia numa mulher do Alto do Rodrigues para salvar um bebê que está com 23 semanas de gestação gemelar, num caso raro chamado na medicina de "sequencia trap" e/ou "feto arcádico"
Imagem 1 -  Dra. Isabelle Albuquerque, que é aluna do cirurgia fetal Maurício Saito, trabalha em Mossoró; ela explicou ao MOSSORO HOJE como será o procedimento, a tecnologia aplicada e o avanço da medicina
Dra. Isabelle Albuquerque, que é aluna do cirurgia fetal Maurício Saito, trabalha em Mossoró; ela explicou ao MOSSORO HOJE como será o procedimento, a tecnologia aplicada e o avanço da medicina

Neste sábado, 10, o Hospital Maternidade Almeida Castro, gerido pela APAMIM - Associação de Assistência e Proteção a Maternidade e a Infância de Mossoró-RN, entra na história da medicina ao realizar a primeira cirurgia fetal intrauterina do Rio Grande do Norte.

O procedimento será realizado pelo médico cirurgião paulista Maurício Saito, que chegará nesta sexta-feira, 9, na terra abençoada por Santa Luzia para atender sua paciente natural do Alto do Rodrigues-RN, na manhã deste sábado.

Saito é um dos únicos médicos no Pais com tecnologia e habilidade reconhecida por seus pares para fazer cirurgia de bebês antes mesmo do nascimento. Este tipo de procedimento, que aparentemente é complexo,  com avanço da tecnologia e habilidade de Saito, se tornou possível.

Neste vídeo da  Med Talks, Maurício Saito ministra palestra no Hospital Samaritano, em São Paulo, sobre as principais malformações de bebês durante a gravidez, como realizar o diagnóstico precoce e quais os possíveis tratamentos possíveis.


Com relação a vinda do Maurício Saito a Mossoró, o objetivo é salvar a vida de um bebê com 23 semanas de gestação gemelar da região do Vale do Açu. É um caso raro, que os médicos chamam de feto arcádico ou sequencia trap. 

Quando ocorre situações assim, um dos bebês não se forma completamente na barriga da mãe, enquanto que o outro é perfeito. O bebê que está completo, bombeia o sangue para o outro que não se formou. Este esforço, o leva a morte em 70% dos casos. 

Entretanto, sendo  feita a separação umbilical através da cirurgia fetal intrauterina, desligando um do outro, o bebê que já está formado  nasce saudável. Esta é a missão de Saito. A reportagem do Mossoró Hoje procurou a especialista em  medicina fetal, em Mossoró, para falar sobre o assunto.


A dra. Isabelle Albuquerque , inclusive, é aluna de Mauricio Saito. Ela explica como será a cirurgia na paciente do Alto do Rodrigues, a alta tecnologia utilizada e a importância de procedimento desta natureza para o avanço da medicina em Mossoró-RN.

A dra. Isabelle explica que o procedimento não é invasivo, porém requer tecnologia de ponta (são poucos equipamentos desta natureza no mundo) e muita habilidade do cirurgião. Maurício Saito dispõe dos dois, já tendo realizado várias cirurgias desta natureza nos últimos três anos no País. 


A paciente

A paciente, que é do município do Alto Rodrigues, quando descobriu que estava com problemas na gravidez, foi a Recife (PE), e lá o profissional médico que a atendeu, indicou os cuidados do doutor Maurício Saito. O contato foi feito e obteve resposta.

Maurício Saito, por sua vez, fez contato com Isabelle Albuquerque, em Mossoró, procurando o hospital para fazer o procedimento no Rio Grande do Norte. Se não houvesse no RN, a saída era usar um hospital particular em João Pessoa ou Campina Grande. 

Isabelle revela que quando procurou a diretora geral do Hospital Maternidade Almeida Castro, Larizza Queiroz, encontrou todo o apoio necessário para realizar a cirurgia, em Mossoró, que fica perto de onde reside a paciente no Alto do Rodrigues. 

Como se trata de um caso que requer urgência, o procedimento foi rapidamente agendado para este sábado, às 9 horas, no Centro Cirurgico do Hospital Maternidade Almeida Castro. 

"Estamos prontos para contribuir, para salvar vidas", declara Larizza Queiroz, lembrando que terá uma transmissão em vídeo para médicos e estudantes de medicina acompanhar o procedimento que coloca a Maternidade Almeida Castro e Mossoró na história da medicina.

Notas

AME

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário