25 NOV 2020 | ATUALIZADO 18:31
ESTADO
ANNA PAULA BRITO
23/10/2020 11:11
Atualizado
23/10/2020 15:04

Chuva com ventania derruba o pórtico de entrada, árvores e causa pânico em Itaú

A+   A-  
O empresário Jailson Brito contou ao Mossoró Hoje que a chuva começou repentinamente, por volta das 18h30 desta quinta-feira (22). Ele conta que estava no meio da rua no momento, e se surpreendeu com a força da natureza; O registro foi de 55mm, com raios e trovões.
Imagem 1 -  Chuva com ventania derruba o pórtico de entrada, árvores e causa pânico em Itaú. O empresário Jailson Brito contou ao Mossoró Hoje que a chuva começou repentinamente, por volta das 18h30 desta quinta-feira (22). Ele conta que estava no meio da rua no momento, e se surpreendeu com a força da natureza; O registro foi de 55mm, com raios e trovões.
Chuva com ventania derruba o pórtico de entrada, árvores e causa pânico em Itaú. O empresário Jailson Brito contou ao Mossoró Hoje que a chuva começou repentinamente, por volta das 18h30 desta quinta-feira (22). Ele conta que estava no meio da rua no momento, e se surpreendeu com a força da natureza; O registro foi de 55mm, com raios e trovões.
FOTO: CEDIDA

Uma chuva de 55 milímetros, com rajadas de ventos, raios e trovões, assustou os moradores do município de Itaú, na região do médio oeste do Rio Grande do Norte, nesta quinta-feira (22).

O empresário Jailson Brito contou ao Mossoró Hoje que a chuva começou repentinamente, por volta das 18h30. Ele conta que estava no meio da rua no momento, e se surpreendeu com a força da natureza.

“Eu tava no meio da rua quando começou a chover, de repente. O tempo subiu de repente, muito vento, muito trovão, relâmpagos. Grande, grande mesmo, assustadora mesmo”, disse.

A força dos ventos foi tão intensa que derrubou a placa da entrada da cidade, árvores e a antiga torre que transmitia os sinais via parabólica para as residências.

O Mossoró Hoje também teve acesso a diversos vídeos do momento da chuva. Em um deles, um morador mostra o teto do posto de combustíveis da cidade, que também foi arrancado pela ventania.

Apesar do susto, não houve nenhum relato de pessoas machucadas.

O Professor e Meteorologista da Ufersa, José Espínola, explicou à reportagem que não é comum um fenômeno como este acontecer no mês que outubro, visto que, junto a setembro, estatisticamente é um dos meses mais secos do ano na região.

“Mas em alguns anos acontece e são vários fatores que podem explicar isso aí. Nós temos registrado nos últimos dias temperaturas muito altas. Não é uma coisa totalmente fora da lógica, é foram nornal, mas nós estamos tendo um aquecimento muito grande nos últimos dias e esse aquecimento provoca a evaporação da água do oceano atlântico e essas instabilidades atmosféricas conseguem formas essas precipitações localizadas”, disse. 

O professor também explicou que 2020 é ano do fenômeno atmosférico conhecido como La Niña, que provoca o resfriamento das águas do oceano pacífico. Isto pode fazer com que o ano de 2021 seja de boas chuvas e essas precipitações podem começar mais cedo, ainda este ano.  


Notas

AME

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário