23 JUN 2021 | ATUALIZADO 18:15
MOSSORÓ
06/05/2021 15:18
Atualizado
06/05/2021 15:18

Mossoró apresenta alto risco de Infestação Predial pelo Aedes Aegypti

A+   A-  
No município, de acordo com o Levantamento do Índice de Infestação Predial (LIRAa), recém concluído, o índice ficou em 4,1. O levantamento refere-se ao primeiro ciclo, no período de 14 a 23 de abril. Ele revela que localidades como Planalto 13 de Maio, Dom Jaime Câmara e Alagados, apresentam um índice elevado de infestação do mosquito.
Imagem 1 -
FOTO: REPRODUÇÃO/PMM

Com o período chuvoso ainda em andamento, a Prefeitura de Mossoró acelera as ações de fiscalização e combate ao mosquito Aedes Aegypti, causador de arboviroses como Dengue, Zica e Chikungunya.

O poder público municipal executa as ações por meio dos agentes de endemias e com base no Levantamento do Índice de Infestação Predial (LIRAa), recém concluído.

O levantamento refere-se ao primeiro ciclo, no período de 14 a 23 de abril. Ele revela que localidades como Planalto 13 de Maio, Dom Jaime Câmara e Alagados, apresentam um índice elevado de infestação do mosquito.

Por esta razão, as equipes redobram a atenção nas zonas que ostentam os índices mais preocupantes. Foi o que aconteceu hoje (06), no bairro Dom Jaime Câmara.

Em Mossoró a amostragem foi feita a partir da inspeção de 6.250 imóveis. Na cidade o Índice de Infestação Predial ficou em 4,1%.

"O índice só é considerado de baixo risco quando é até 1%. De 1% até 3,9% é médio risco e acima disso é alto risco", explica Sandro Elias, responsável pelas ações de combate às arboviroses em Mossoró.

Apesar da pandemia da Covid-19, o trabalho não pode parar. Os agentes de endemias atuam respeitando os protocolos de biossegurança durante as visitas nos imóveis.

"Nos bairros que apresentaram maior infestação estamos intensificando a presença dos agentes. Contudo, precisamos contar com a ajuda da população para que cada pessoa também faça a sua parte. É preciso evitar caixas d'água abertas, lixo no quintal e vasos de plantas abandonados", alerta Sandro Elias.

É importante fazer a lavagem de tanques e tonéis com escova, água e sabão. "Os ovos são depositados nas paredes do recipiente ou da estrutura e podem ficar até 450 dias esperando por água. Se não lavar escovando, assim que tiver água novamente, os ovos eclodem", explica o agente de endemias Wilson Assis.

O exemplo que vem da casa de Dona Francisca

A dona de casa Francisca de Morais, moradora da Rua Coronel Jacinto Tavares, no Dom Jaime Câmara recebeu os agentes. Eles tiveram acesso ao quintal da casa pela lateral, sem passagem pelo interior do imóvel. Por lá nenhum problema foi encontrado.

"Tenho muito cuidado porque tenho medo de pegar uma Dengue, então sempre olho e não deixo acumular água em canto nenhum", disse Francisca.

LIRA'a

De forma isolada, chama a atenção o LIRAa apresentado pelos seguintes bairros:

Planalto 17,6%

Alagados: 10%

Pintos: 8,7%

Paredões: 7,2%

Dix Sept Rosado: 7,1%

Boa Vista: 6,9%

Centro: 0%

Santa Júlia: 0,6%

Lagoa do Mato: 1,2%

Redenção: 1,2%


Notas

Posto JP - Maio de 2021

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário