30 NOV 2021 | ATUALIZADO 18:05
MOSSORÓ
ANNA PAULA BRITO
29/10/2021 18:24
Atualizado
30/10/2021 14:08

Gato-Mourisco é resgatado pela GCM em sítio da zona rural de Mossoró

A+   A-  
O animal foi capturado no dia 26 de outubro por um morador do sítio Senegal, a cerca de 10km da zona urbana do município. O pelotão ambiental da Guarda Civil Municipal foi acionado para fazer o resgate do gato, que apresentava um ferimento na pata trazeira. Ele foi encaminhado a Ufersa, onde passa por exames. De acordo com o Inspetor Marcos Gilliard, o ICMBio Mossoró também foi acionado e a intenção do Instituto é soltar o animal no Parque Nacional da Furna Feia, caso este tenha uma recuperação rápida.
Imagem 1 -  O animal foi capturado no dia 26 de outubro por um morador do sítio Senegal, a cerca de 10km da zona urbana do município. O pelotão ambiental da Guarda Civil Municipal foi acionado para fazer o resgate do gato, que apresentava um ferimento na pata trazeira. Ele foi encaminhado a Ufersa, onde passa por exames. De acordo com o Inspetor Marcos Gilliard, o ICMBio Mossoró também foi acionado e a intenção do Instituto é soltar o animal no Parque Nacional da Furna Feia, caso este tenha uma recuperação rápida.
O animal foi capturado no dia 26 de outubro por um morador do sítio Senegal, a cerca de 10km da zona urbana do município. O pelotão ambiental da Guarda Civil Municipal foi acionado para fazer o resgate do gato, que apresentava um ferimento na pata trazeira. Ele foi encaminhado a Ufersa, onde passa por exames. De acordo com o Inspetor Marcos Gilliard, o ICMBio Mossoró também foi acionado e a intenção do Instituto é soltar o animal no Parque Nacional da Furna Feia, caso este tenha uma recuperação rápida.
FOTO: CEDIDA

Um Gato-Mourisco foi resgatado pelo Pelotão Ambiental da Guarda Municipal de Mossoró, na quarta-feira (27), no Sítio Senegal, a cerca de 10 km da zona urbana do município.

De acordo com o comandante do pelotão, o Inspetor Marcos Gilliard, a informação sobre a captura do animal por um morador foi recebida ainda na terça-feira (26). No dia seguinte uma guarnição se deslocou até o local e verificou que a história era verídica.

O felino estava muito assustado e com um ferimento na pata traseira. “Primeiramente nós entramos em contato com a Ufersa, para saber se eles tinham condições de receber o animal. Com a resposta positiva, fizemos o resgate e o entregamos no hospital veterinário do local”, explicou Gilliard.

Veja mais:

Pesquisador tira dúvidas sobre gato-vermelho confundido com onça em Itaú


O GCM explica que foi necessário muito cuidado para a remoção do gato. “Tivemos um cuidado redobrado neste resgate, devido ao fato de ser um animal extremamente arisco e também por ele estar machucado, mas graças a Deus conseguimos fazer o resgate e a entrega na Ufersa para os cuidados dos veterinários”.

O Gato-Mourisco vai passar por uma série de exames para que seu estado de saúde seja avaliado.

Gilliard contou, ainda, que entrou em contato com ICMBio Mossoró. Segundo ele, o Instituto sinalizou que tem interesse em receber o animal, quando este for liberado pelos veterinários da Ufersa.

A intenção é soltá-lo no Parque Nacional da Furna Feia, entre Mossoró e Baraúna. Esta possibilidade vai depender, no entanto, da avaliação dos veterinários e do tempo de recuperação do animal.


GATO-MOURISCO

De acordo com o pesquisador Paulo Henrique Marinho, que esteve em contato com o MOSSORÓ HOJE, o Gato-Mourisco (Herpailurus yagouaroundi) é uma espécie de gato do mato, de 5 a 7 kg, nativa de vários biomas do Brasil, incluindo a Caatinga.

Trata-se de um animal presente em toda região nordeste mas ameaçado de extinção por perda de habitat, perseguição humana e atropelamentos.

O pesquisador explicou que ele não representa risco direto para as pessoas, devendo ser respeitado e preservado e, em caso de problemas, os órgãos ambientais devem ser acionados.


Notas

Tekton

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário