06 DEZ 2021 | ATUALIZADO 17:36
NACIONAL
16/11/2021 14:02
Atualizado
16/11/2021 14:02

Ministério anuncia dose de reforço para maiores de 18 anos; intervalo passa de 6 para 5 meses

A+   A-  
Em Mossoró, de acordo com o coordenador de imunização, Etevaldo de lima, a secretaria municipal de saúde ainda não recebeu a nota técnica oficial do Ministério da saúde para dar início a aplicação da dose de reforço de toda a população. “Estamos aguardando o envio da nota técnica oficial por parte do Ministério da saúde, com as orientações necessárias para a aplicação da dose de reforço em toda a população acima de 18 anos, por enquanto, continuamos apenas com os idosos e profissionais de saúde tomando a terceira dose”, disse Etevaldo.
Imagem 1 -

O Ministério da Saúde anunciou nesta terça-feira (16) a redução do intervalo da dose de reforço da vacina contra Covid-19. O intervalo que antes era de seis, passou para cinco meses após o esquema vacinal completo (dose única ou duas doses). Além disso, a partir de agora, a D3 está liberada para qualquer pessoa com mais de 18 anos.

Até então, a dose de reforço tinha sido aprovada para os maiores de 60 anos, pessoas imunossuprimidas e profissionais de saúde.

Em Mossoró, de acordo com o coordenador de imunização, Etevaldo de lima, a secretaria municipal de saúde ainda não recebeu a nota técnica oficial do Ministério da saúde para dar início a aplicação da dose de reforço de toda a população.

“Estamos aguardando o envio da nota técnica oficial por parte do Ministério da saúde, com as orientações necessárias para a aplicação da dose de reforço em toda a população acima de 18 anos, por enquanto, continuamos apenas com os idosos e profissionais de saúde tomando a terceira dose”, disse Etevaldo.

O ministro Marcelo Queiroga explicou que o ministério não divulgará um calendário por faixa etária para a tomar a dose adiciona, pós completar a imunização há cinco meses, os brasileiros já estão aptos a dose de reforço.

"Acima de cinco meses da segunda dose, independentemente da idade, já se pode buscar a sala de imunização", disse o ministro da Saúde.

Outra orientação do Ministério da Saúde é de que as pessoas tomem um imunizante diferente do usado no esquema vacinal. "É preferencial que a dose adicional seja com uma vacina diferente. No Brasil usamos a Pfizer, mas em um eventual desabastecimento pode ser usada outra plataforma", explicou Queiroga.

Queiroga disse ainda que pessoas que tomaram a vacina da Janssen, de dose única, irão tomar a segunda dose do mesmo imunizante primeiro, explicou o ministro da Saúde.

"Hoje nós sabemos que é necessária uma proteção adicional dessa vacina. Como temos um quantitativo, não será um esforço muito grande. A sequência é: completou cinco meses da segunda dose, receberá uma dose de reforço, preferencialmente com uma vacina diferente", disse Queiroga.

O tempo de intervalo entre a primeira e segunda dose será de dois meses. "Quem tomou a Janssen completará o esquema vacinal. Embora seja de dose única, compete a nós [Ministério da Saúde] as definições. A pessoa tomará duas doses, em um intervalo de dois meses. A Janssen chegou em junho/julho, então estamos no tempo esperado", explicou Rosana Leite de Melo, secretária extraordinária do ministério.

A pasta vai começar a distribuir as doses da Janssen aos estados e municípios a partir da próxima sexta-feira (19).


Notas

Tekton

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário