15 JUN 2024 | ATUALIZADO 22:35
EDUCAÇÃO
05/12/2023 09:06
Atualizado
05/12/2023 09:06

Ufersa vai assumir gestão da Rádio-Observatório Espacial de Eusébio/CE

A+   A-  
Atualmente sob a gestão do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o Rádio-Observatório (ROAN), localizado no Ceará, passará a ser administrado pela Ufersa e pela Universidade Mackenzie. Um convênio nesse sentido está sendo firmado entre as duas Universidades, a Agência Espacial e a NASA.
Imagem 1 -  Ufersa vai assumir gestão da Rádio-Observatório Espacial de Eusébio/CE. Atualmente sob a gestão do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o Rádio-Observatório (ROAN), localizado no Ceará, passará a ser administrado pela Ufersa e pela Universidade Mackenzie. Um convênio nesse sentido está sendo firmado entre as duas Universidades, a Agência Espacial e a NASA.
Ufersa vai assumir gestão da Rádio-Observatório Espacial de Eusébio/CE. Atualmente sob a gestão do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o Rádio-Observatório (ROAN), localizado no Ceará, passará a ser administrado pela Ufersa e pela Universidade Mackenzie. Um convênio nesse sentido está sendo firmado entre as duas Universidades, a Agência Espacial e a NASA.
FOTO: ASCOM/UFERSA

Numa iniciativa da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa) começou nesta segunda-feira (4) o curso da “Escola de Verão: Geodésia Espacial (VLBI)”, evento científico promovido pela Agência Espacial Brasileira (AEB), pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, pela CAPES e pela NASA. O curso de Geodésia Espacial acontece nas dependências do Instituto Federal, Campus Fortaleza (IFCE).

As aulas acontecem no formato híbrido (presencial e virtual), sendo transmitidas pelo canal do IFCE no YouTube, ofertado em parceria com a AEB.

A reitora da Ufersa, professora Ludimilla Oliveira, juntamente com o pró-reitor adjunto de pesquisa e pós-graduação, professor Idalmir Queiroz, participaram da abertura do curso na capital cearense.

Atualmente sob a gestão do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o Rádio-Observatório Espacial de Eusébio (ROAN), localizado no Ceará, passará a ser administrado pela Ufersa e a Mackenzie. Um convênio nesse sentido está sendo firmado entre as duas Universidades, a Agência Espacial e a NASA.

“O programa espacial brasileiro precisa de uma presença maior das universidades, pois sem essa participação o programa não decola. A Ufersa, em particular, é extremamente importante nesse ponto porque essa parceria na área de interferometria de base longa é fundamental, tanto do ponto de vista da ciência, quanto do ponto de vista das aplicações das navegações globais, o GPS”, pontuou o presidente da AEB, Marco Chamon.

Para o presidente da AEB, a presença das universidades vai permitir que o Centro de Medidas VLBI prossiga com as atividades.

“Esse evento é fundamental para a divulgação dos trabalhos que são feitos, bem como anunciar a presença da Ufersa na continuidade das atividades do ROAN”, afirmou o presidente da AEB.

Com o Acordo de Cooperação Técnica entre a Ufersa, a Universidade Mackenzie e, a AEB voltado para consolidar o Centro que já conta com o apoio da NASA, permitindo a operação do Rádio-Observatório Espacial de Eusébio que é fornecedora dos dados que são utilizados nas pesquisas brasileiras nessa área do conhecimento.

A reitora da Ufersa, professora Ludimilla Oliveira, acredita ser um passo de grande importância, principalmente, nas pesquisas e no reconhecimento internacional da Universidade.

“É um trabalho conjunto com a Agência Espacial Brasileira, numa área transversal e com impactos nas pesquisas nos quatro campi da Ufersa e, também uma marca importante para a internacionalização, uma área que temos avançado com proposições inovadoras e totalmente atual haja visto os problemas climáticos, de localização e atualizações de sistemas, enfim, é a Ufersa se projetando cada vez mais”, considerou a reitora Ludimilla.

GEODESIA ESPACIAL

O Space Geodesy Project (SGP) da NASA, do qual o Brasil participa através do acordo AEB/NASA, fornece produtos essenciais para o International Celestial Reference Frame (ICRF), o International Terrestrial Reference Frame (ITRF), a relação entre ambos vem sendo obtida através do Earth Orientation Parameters (EOP), além de determinação/correção precisa da órbita de satélites.

A técnica utilizada é o Very Long Baseline Interferometry (VLBI), sendo a antena de Fortaleza parte de uma rede mundial de antenas similares. Os dados e produtos do SGP são utilizados em uma enorme gama de aplicações e serviços que incluem Observação da Terra, Posicionamento, Navegação e Medição do Tempo.

Os produtos entregues pelo (VLBI), resultam em produtos oficiais, e para o mundo todo, disponibilizados pelo International VLBI Services (IVS), tais como ITRF (International Terrestrial Reference System), ICRF (International Celestial Reference System) e EOP (Earth Orientation Parameters).

Os produtos de ITRF, ICRF e EOP não são utilizados apenas para pesquisas fundamentais, mas, sobretudo no dia-a-dia do cidadão. Qualquer pessoa com celular e GPS necessita um monitoramento preciso da trajetória de satélites para prover geoposicionamento de qualidade e precisão.

O sistema VGOS, incorporado na nova antena, poderá monitorar os níveis dos oceanos com precisão milimétrica, sendo uma ferramenta para estudos sobre o aquecimento global. Da mesma forma, poderá gerar dados de monitoramento hidrometeorológico nas bacias.


Notas

Relativa

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário