25 FEV 2024 | ATUALIZADO 11:05
POLÍCIA
ANNA PAULA BRITO
09/02/2024 12:42
Atualizado
09/02/2024 12:51

Caso Jubileu: suspeito será indiciado por crimes cujas penas somadas podem ultrapassar os 50 anos

A+   A-  
Alexandre David Andrade da Silva, de 20 anos, que confessou ter matado o cinegrafista Carlos Romão Barbosa Filho, de 24 anos, conhecido como “Jubileu”, será indiciado pela polícia civil pelos crimes de Homicídio qualificado, roubo circunstanciado, além de corrupção de menor. Segundo o delegado Caio Fábio, da DHPP, caso o MP mantenha o mesmo entendimento e denuncie o homem por estes crimes, as penas somadas podem ultrapassar os 50 anos de prisão.
Imagem 1 -  Caso Jubileu: suspeito será indiciado por crimes cujas penas somadas podem ultrapassar os 50 anos. Alexandre David Andrade da Silva, de 20 anos, que confessou ter matado o cinegrafista Carlos Romão Barbosa Filho, de 24 anos, conhecido como “Jubileu”, será indiciado pela polícia civil pelos crimes de Homicídio qualificado, roubo circunstanciado, além de corrupção de menor. Segundo o delegado Caio Fábio, da DHPP, caso o MP mantenha o mesmo entendimento e denuncie o homem por estes crimes, as penas somadas podem ultrapassar os 50 anos de prisão.
Caso Jubileu: suspeito será indiciado por crimes cujas penas somadas podem ultrapassar os 50 anos. Alexandre David Andrade da Silva, de 20 anos, que confessou ter matado o cinegrafista Carlos Romão Barbosa Filho, de 24 anos, conhecido como “Jubileu”, será indiciado pela polícia civil pelos crimes de Homicídio qualificado, roubo circunstanciado, além de corrupção de menor. Segundo o delegado Caio Fábio, da DHPP, caso o MP mantenha o mesmo entendimento e denuncie o homem por estes crimes, as penas somadas podem ultrapassar os 50 anos de prisão.

O delegado Caio Fábio, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa de Mossoró, concedeu uma nova entrevista coletiva, nesta sexta-feira (9), para falar sobre a conclusão das investigações sobre o homicídio do cinegrafista Carlos Romão Barbosa Filho, de 24 anos, conhecido como “Jubileu”.

O crime aconteceu no domingo (4), no Sumaré, em Mossoró. Um homem de 20 anos, identificado como Alexandre David Andrade da Silva, está preso desde a segunda-feira (5), após confessar o assassinato.

Segundo o delegado, um adolescente de 17 anos se apresentou na delegacia e confirmou que estava pilotando a motocicleta utilizada no dia do homicídio, mas negou que soubesse a intenção de Alexandre de cometer o crime.

Ele também afirmou que os celulares das vítimas foram jogados fora logo após o roubo, assim como a motocicleta que ele pilotava, que também era roubada.

Por ter livrado o flagrante e por ser menor, o adolescente foi liberado após prestar depoimento. Ele deverá responder pelo crime junto a delegacia da criança e do adolescente.

Ainda segundo o delegado, a motivação do crime não ficou totalmente esclarecida. O que se tem é a versão do autor, mas outras duas hipóteses podem ser o fato de Alexandre ter matado Jubileu por ter sido reconhecido por ele ou, ainda, por pura maldade.

Alexandre será indiciado pela polícia civil pelos crimes de homicídio qualificado (com emprego de recurso que dificultou a defesa da vítima), roubo circunstanciado (pelo emprego de arma de fogo e concurso de agentes), além de corrupção de menor (porque ficou demonstrado que o crime foi praticado na companhia de um adolescente).

“Esses crimes, com penas somadas, superam, e muito, a pena pelo crime de latrocínio, que seria a linha inicial”, diz o delegado Caio Fábio.


Notas

Tekton

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário