13 ABR 2024 | ATUALIZADO 13:43
ESTADO
26/02/2024 17:22
Atualizado
26/02/2024 17:22

“O Povo do Sal”: pesquisador lança obra sobre atividade salineira artesanal no RN

A+   A-  
A obra é um dos resultados do “Ekosal”, projeto realizado na Ufersa que assumiu a tarefa de promover a regularização ambiental das últimas salinas artesanais do Brasil. Organizado pelo professor , Rogério Taygra e escrito a partir da visão e da experiência de diferentes autores, o Povo do Sal destaca como as salinas artesanais desempenham um papel fundamental tanto no aspecto histórico e cultural da região, como também no aspecto econômico, principalmente no município de Grossos (RN), onde existem em sua quase totalidade. O lançamento do livro acontece nesta sexta- feira (01) às 15h na Câmara Municipal de Vereadores da cidade de Grossos. Uma versão virtual do livro está disponível gratuitamente na plataformasabia.com.
Imagem 1 -

O professor da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa) e pesquisador da área da salinicultura, Rogério Taygra, lança na próxima sexta- feira (01) livro “O Povo do Sal”. A obra é um dos resultados do “Ekosal”, projeto realizado na Ufersa que assumiu a tarefa de promover a regularização ambiental das últimas salinas artesanais do Brasil.

Organizado em capítulos escritos a partir da visão e da experiência de diferentes autores, o Povo do Sal destaca como as salinas artesanais desempenham um papel fundamental tanto no aspecto histórico e cultural da região, como também no aspecto econômico, principalmente no município de Grossos (RN), onde existem em sua quase totalidade.

“Essas salinas preservam a forma tradicional de produção do sal marinho, tal qual era realizada há mais de 400 anos, usando cata-ventos para captação de água do mar e colhendo o sal com pás e carros de mão. A produção artesanal de sal é um patrimônio histórico e cultural do estado e do país”, comentou Taygra.

Segundo o pesquisador, o objetivo do livro é apresentar informações sobre essa atividade, que é muito importante do ponto de vista cultural e econômico, mas que, ainda assim, é muito desconhecida do público em geral.

A produção artesanal de sal marinho é uma das atividades mais antigas e tradicionais do Brasil. Desenvolvida desde o período da colonização portuguesa, a salinicultura nacional está concentrada majoritariamente no litoral setentrional do Rio Grande do Norte, resultado da combinação de condições climáticas, geográficas e ambientais dessa região, as quais favorecem a formação de salinas naturais.

Como reflexo dessa vocação, a atividade se modernizou e se tornou parte significativa da economia do litoral do Rio Grande do Norte, também conhecido como “Costa do Sal”, que gera atualmente por uma produção anual superior a 5 milhões de toneladas, o que corresponde a mais de 95% da produção nacional.

Além do apoio da Ufersa e do Instituto Sabiá, a obra foi elaborada com o apoio do Instituto de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente (Idema), da Fundação de Apoio à Pesquisa do Rio Grande do Norte (Fapern), da Prefeitura Municipal de Grossos e, na época, do deputado estadual Souza.

O lançamento do livro “O Povo o Sal” acontece nesta sexta- feira (01) a partir das 15h na Câmara Municipal de Vereadores da cidade de Grossos. Uma versão virtual do livro está disponível gratuitamente no endereço: plataformasabia.com.

Notas

Tekton

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário