28 MAI 2024 | ATUALIZADO 10:51
MOSSORÓ
15/04/2024 15:01
Atualizado
15/04/2024 15:11

Cooperativa de beneficiamento de polpa de frutas alcança 27 famílias de várias comunidades de Mossoró

Seu Marcos Alberto, que gerência a cooperativa de beneficiamento de frutas, explica como se dá o processo de beneficiamento da fruta até chegar a produto final que é comercializado. “Nós temos aqui 27 unidades de processamento, 27 famílias envolvidas, os que não estão ligados diretamente na produção da polpa, trabalha produzindo a fruta, pegamos frutas de todas região”, explica. De acordo com seu Marcos o processo se dá com a produção de frutas como: cajarana, cajá, limão, goiaba, tamarindo e acerola pelos produtores das comunidades, que levam essa produção para a cooperativa, lá, a fruta passa pelo processo de beneficiamento onde se transforma em polpa e fica resfriada na câmara fria e posteriormente, é vendida diretamente ao consumidor.
Seu Marcos Alberto, que gerência a cooperativa de beneficiamento de frutas, explica como se dá o processo de beneficiamento da fruta até chegar a produto final que é comercializado. “Nós temos aqui 27 unidades de processamento, 27 famílias envolvidas, os que não estão ligados diretamente na produção da polpa, trabalha produzindo a fruta, pegamos frutas de todas região”, explica. De acordo com seu Marcos o processo se dá com a produção de frutas como: cajarana, cajá, limão, goiaba, tamarindo e acerola pelos produtores das comunidades, que levam essa produção para a cooperativa, lá, a fruta passa pelo processo de beneficiamento onde se transforma em polpa e fica resfriada na câmara fria e posteriormente, é vendida diretamente ao consumidor.

Ao menos 27 famílias estão sendo beneficiadas, produzindo frutas, transformando em polpa e vendendo para a merenda escolar das escolas e supermercados locais. É o caso da Associação  de Produtores e Agricultores da Feira Agroecológica de Mossoró (APROFAM), que desenvolve o trabalho junto as famílias da comunidade rurais de Mossoró.

Seu Marcos Alberto, que gerência a cooperativa de beneficiamento de frutas, explica como se dá o processo de beneficiamento da fruta até chegar a produto final que é comercializado.

“Nós temos aqui 27 unidades de processamento, 27 famílias envolvidas, os que não estão ligados diretamente na produção da polpa, trabalha produzindo a fruta, pegamos frutas de todas região”, explica.

De acordo com seu Marcos o processo se dá com a produção de frutas como: cajarana, cajá, limão, goiaba, tamarindo e acerola pelos produtores das comunidades, que levam essa produção para a cooperativa, lá, a fruta passa pelo processo de beneficiamento onde se transforma em polpa e fica resfriada na câmara fria e posteriormente, é vendida diretamente ao consumidor.

Entre os desafios dos agricultores na produção, está a dificuldade para conseguir água de boa qualidade para o funcionamento da fábrica de polpa. Seu Marcos diz que a água que chega a comunidade é salobra e não pode ser usada para irrigação devido ao aumentos dos custos. Segundo o produtor a saída é trabalhar no regime de remanejamento da produção.

“A gente se vira, faz remanejamento, uns passa sede, outros produzem, nesse momento estou precisando da acerola, passo a irrigar a acerola, quando a acerola carrega vai pra goiaba e assim vai remanejando, o trabalho não pode parar”, finaliza.

Notas

Publicidades

Outras Notícias

Deixe seu comentário